A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 22 de Junho de 2017

14/02/2017 18:10

Perda com queda na importação de gás pode chegar a R$ 600 milhões

Paulo Nonato de Souza
Reinaldo Azambuja em reunião com a bancada de Mato Grosso do Sul, esta tarde, em Brasília (Foto: Divulgação/Governo do Estado)Reinaldo Azambuja em reunião com a bancada de Mato Grosso do Sul, esta tarde, em Brasília (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

O governador Reinaldo Azambuja disse nesta terça-feira, 14, que a redução na compra de gás natural produzido na Bolívia pela Petrobrás já atinge mais de 60%, e se a estatal persistir com a decisão a perda de Mato Grosso do Sul na arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) será de R$ 600 milhões em 2017. A queda na receita, que já se apresentava por conta da crise econômica, coloca em risco as finanças do Estado.

“A queda é enorme e isso não estava dentro do nosso planejamento. Entre 2013 2015 manteve-se o fluxo, em 2016 caiu um pouquinho, mas algo suportável pelo Estado de Mato Grosso do Sul pelas medidas de contensão que a gente fez”, declarou o governador, depois de se reunir com a bancada federal, em Brasília, para tratar da questão.

Segundo Reinaldo Azambuja, a queda de mais de 60% no bombeamento, mas, principalmente no faturamento, representa o caos para as contas de Mato Grosso do Sul.

“Não há mágica que você possa se recompor de R$ 600 milhões que nós perderíamos este ano no caixa do Estado, em meio a uma crise como essa que estamos vivendo”, disse ele.

O senador Waldemir Moka (PMDB), presente ao encontro com o governador, anunciou que a bancada de Mato Grosso do Sul irá exigir da Petrobrás que ao menos o volume de 24 milhões de metros cúbicos de gás/mês, que Mato Grosso do Sul tem direito pelo contrato inicial, seja restabelecido. A expectativa é de que essa medida possa reduzir os prejuízos do Estado.

“O governador Reinaldo Azambuja teve da nossa bancada total apoio para as negociações na Petrobrás e com a presidência da República no sentido de mostrar o que está acontecendo com Mato Grosso do Sul e os prejuízos que isso representa”, afirmou.

HISTÓRICO - Conforme a Sefaz (Secretaria Estadual de Fazenda), em 2016 o governo arrecadava por mês R$ 79,3 milhões com o ICMS do gás boliviano, que passa por Mato Grosso do Sul pelo gasoduto. O montante representava 11,51% do total recolhido com o tributo. Em janeiro deste ano, arrecadação caiu pela metade, R$ 38,6 milhões – 5,67% do que o Estado recebe com a cobrança do imposto.

Entre 2015 e 2016 também houve queda. Há dois anos, o Estado arrecadava mensalmente R$ 107.376.273 com o ICMS do gás – eram 16,60% da receita do imposto.

EUA suspendem todas as importações de carne in natura do Brasil
O secretário de Agricultura dos EUA, Sonny Perdue, anunciou nesta quinta-feira, 22, a suspensão de todas as importações de carne bovina in natura do ...
Dólar fecha em leve alta e com investidor monitorando cenário político
O dólar teve mais um dia de volatilidade pautado por forças opostas em diversos momentos, mas incertezas políticas prevaleceram no fim dos negócios n...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions