A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

06/03/2018 15:00

Pesquisa prevê queda de R$ 10 milhões nas vendas de ovos de chocolate

Movimentação estimada, a partir da consulta aos consumidores, é de R$ 61 milhões, contra R$ 71 milhões em 2017

Osvaldo Júnior
Crianças estão na liderança da preferência entre os que serão presenteados com ovos de chocolate (Foto: Anahi Gurgel)Crianças estão na liderança da preferência entre os que serão presenteados com ovos de chocolate (Foto: Anahi Gurgel)

Uma Páscoa menos calórica – assim será a data neste ano se depender da intenção de consumo dos sul-mato-grossenses. Em tempos de contenção de gastos, as compras de ovos de chocolate e outras guloseimas da data serão menores. Levantamento do IPF (Instituto de Pesquisa Fecomércio), divulgado nesta terça-feira (6), mostra o tamanho dessa possível redução: R$ 10,27 milhões.

De acordo com a pesquisa, 55,4% dos consumidores pretendem comprar chocolate e outros alimentos da Páscoa, desembolsando o total de R$ 61,54 milhões. No ano anterior, a parcela era de 78,54%, com compras equivalentes a R$ 71,81 milhões. Em números relativos, a retração dos gastos estimados é de 14,30%.

Mas não só de chocolate vive a Páscoa. Os consumidores também têm despesas com comemorações, como o churrasco com a família. Esses tipos de desembolsos podem somar R$ 53,04 milhões. No total, entre ovos de chocolate, outras iguarias e comemorações, os gastos podem chegar a R$ 114,59 milhões.

Em se tratando de compras de doces da época, o ovo de Páscoa (61,38% das intenções) lidera, com folga, a preferência dos sul-mato-grossenses. Na sequência, estão caixa de bombons (22,70%), barra de chocolate (6,92%), ovo caseiro (6,09%) e cesta café da manhã ou de chocolate (1,52%). 

Ovos de chocolate são ofertados em supermercados no mês passado (Foto: Anahi Gurgel)Ovos de chocolate são ofertados em supermercados no mês passado (Foto: Anahi Gurgel)

Para quem – Com o romantismo já desgastado, os casados não estão muito a fim de agradar o esposo ou a esposa com chocolate. Só 1,70% têm essa intenção. Parcela abaixo de muitas outras, como a de pai (3,83%), afilhados (4%), irmãos (4,21%), netos (8,7%), sobrinhos (8,87%), mãe (9,63%).

No entanto, casais de namorados continuam românticos. Dos entrevistados, 14,34% disseram que pretendem comprar ovos de chocolate ou outra guloseima para seu namorado ou sua namorada. Esse percentual só é menor que a intenção de presentear os filhos (32,07%).

Onde – Quanto aos locais, supermercados lideram com 50,38% das preferências. As lojas do centro (38,47%) e as do bairro (3,41%) aparecem em seguida. Há ainda os que pretendem atravessar a fronteira para comprar chocolate: 2,7% disseram que vão adquirir os ovos de chocolate no Paraguai.

De que forma – A maior parte dos consumidores está cautelosa e não quer fazer dívidas. São 81,58% os que planejam comprar com dinheiro. Na sequência, estão a aquisição a crédito (9,01%) e de débito (5,58%).

A pesquisa também verificou quais são os produtos mais consumidos na Semana Santa e Páscoa. O peixe (35,21%) está no topo do ranking, superando, na ordem, carne para churrasco (13,06%), refrigerante (9,28%), cerveja (9,20%). Em seguida, indicando que o sul-mato-grossense, também se preocupa com alimentação saudável, aparece verduras, com 5,43%.

Pesquisa prevê queda de R$ 10 milhões nas vendas de ovos de chocolate

Comemorações – Em se tratando de comemorações, os gastos devem somar R$ 53,04 milhões, diminuição de 31,44%. De acordo com o IPF, a queda é “motivada, principalmente, pela redução de pessoas que gastarão no período”.

Caso a parcela de pessoas que pretendem consumir na data não caísse, haveria aumento total dos valores das compras. Isso devido a outra variável: o de quanto cada consumidor planeja desembolsar. O gasto médio, neste ano, é de R$ 85,60%, montante 8,98% superior aos R$ 78,54 de 2016.

A maioria acredita que vá comemorar o domingo de Páscoa em casa (41,82%). Na sequência, estão os gastos com alimentação em casa de outros familiares (27,8%) e despesas com bebidas (24,9%).

Aumento de benefícios a produtor rural pode ser vetado, diz secretário
O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse hoje (17) que o governo federal estuda vetar a ampliação de benefícios a produtores rurais ...
Dólar fecha a semana cotado a R$ 3,91, acumulando alta de 1,31%
A moeda norte-americana encerrou hoje novamente (17) em alta de 0,24%, cotada a R$ 3,9147 na venda, fechando uma série de três pregões consecutivos d...
Hotel em Orlando ganha tema Jurassic World
Sempre se reinventando, Orlando não mede gastos para investir seja em novas atrações nos parques ou em estrutura e serviços para os turistas. Agora é...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions