A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/03/2010 15:46

PF prende 14 em flagrante de cartel envolvendo Copagaz

Redação

Operação da Secretaria de Direito Econômico, junto com a Polícia Federal, flagrou nesta quinta-feira cartel envolvendo 5 empresas do setor de GLP, incluindo a sul-mato-grossense Copagaz.

A ação foi deflagrada em Fortaleza, Paraíba, Pernambuco, Ceará, Bahia e São Paulo, com base em escutas telefônicas realizadas depois de denúncias de que existe acordo entre os grupos para aumentar os preços do produto em todo o País, simultaneamente.

Entre as implicadas estão a Liquigás (pertencente a Petrobras), SHV, Nacional Gás Butano, Ultragaz e Copagaz, que, segundo a Polícia Federal, representam 90% do mercado brasileiro.

O flagrante é considerado o primeiro desse tipo no Brasil. Um grupo de gerentes estava reunido em um hotel em Fortaleza para combinar modos de ação na região Nordeste e todos foram detidos.

O encontro seria para passar aos funcionários recém-contratados como são as regras e combinações vigentes entre as empresas concorrentes.

A Operação "Chama Azul" começou com 42 ordens judiciais expedidas por ajuste ilegal de preço e reserva de mercado, caracterizando formação de cartel. São 14 mandados de prisão temporária e 28 de busca e apreensão.

Os mandatos foram expedidas pela 3ª Vara Criminal da Comarca de Campina Grande, na Paraíba. Na operação foram empregados cerca de 160 policiais federais dos Estados da Paraíba e Pernambuco, além de 13 servidores da SDE.

A investigação começou sobre a distribuição de gás de cozinha na cidade de Campina Grande, onde, segundo denúncia, esquema tentava eliminar a concorrência.

Os envolvidos no crime são empresários e funcionários de empresas distribuidoras ou revendedoras de GLP, que foram indiciados por formação de cartel, crime contra a ordem econômica - venda clandestina, e formação de quadrilha ou bando.

Os presos serão interrogados pela Polícia Federal e o material apreendido analisado com o auxílio de técnicos da Secretaria de Direito Econômico, para apresentação de relatório final ao Ministério Público do Estado da Paraíba

No último ano, o preço médio do GLP subiu nesses locais 15% para o consumidor, enquanto a inflação foi de 4,31%.

Hoje, Mato Grosso do Sul, também atendida por algumas dessas empresas, tem o segundo valor mais alto de gás de cozinha no País, R$ 44,00, só perde para o Mato Grosso (R$ 46,33).

De acordo com a Polícia Federal, o material apreendido será encaminhado para a Superintendência da PF na Paraíba, que coordena a operação.

A assessoria de Comunicação da Copagaz, que fica em São Paulo (SP), foi procurada, mas não retornou ao pedido de informações.

Empresas têm até 20 de dezembro para optar pela antecipação do eSocial
Empresas podem optar pela antecipação da implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSoci...
Prazo para regularizar débitos com fisco estadual vence na sexta-feira
Contribuintes que possuem débitos com o fisco estadual têm até sexta-feira (15) para aderirem ao Refis (Programa de Recuperação Fiscal) de Mato Gross...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions