ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Plano da Energisa reduz em R$ 154 milhões investimentos na Enersul

Por Aline dos Santos | 14/12/2013 09:35
Funcionários da Enersul temem demissões com proposta da Energisa. (Foto: Arquivo)
Funcionários da Enersul temem demissões com proposta da Energisa. (Foto: Arquivo)

O plano da Energisa, que deve assumir as oito distribuidoras do Grupo Rede, prevê R$ 154 milhões a menos em investimentos do que a necessidade da empresa. “Na percepção da Administração da Intervenção, o montante total de investimento necessário para o período de 2013 a 2017 é de cerca de R$ 900 milhões, enquanto o previsto pela Energisa foi de R$ 746 milhões”, informa Jerson Kelman em documento denominado “Comentários do Interventor da Enersul”.

O montante será utilizado para investimentos em ativos elétricos e universalização para o quinquênio. No relatório, o interventor destaca que o prazo para avaliar o “Plano Energisa” foi curto: apenas 12 dias.

A possibilidade de compartilhamento de estrutura foi motivo de alerta. “A experiência acumulada nas intervenções no Grupo Rede demonstra que o compartilhamento só deve ser admitido pela Aneel se houver real condição para intensificar a fiscalização sobre a nova maneira de gerir distribuidoras de energia elétrica”, afirma Kelman. O compartilhamento é de estrutura e recursos humanos.

No mês passado, em Campo Grande, o diretor da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), José Jurhosa, garantiu que as manobras financeiras entre as empresas do grupo serão vetadas. Ele enfatizou que a Energisa não prevê esse modelo de gestão.

Em 2012, a Enersul transferiu R$ R$ 82 milhões para socorrer a Celpa (Centrais Elétricas do Pará), que também pertencia ao Grupo Rede. A movimentação abalou as finanças da empresa de Mato Grosso do Sul, que, após quatro anos de bom desempenho, amargou prejuízo de R$ 16,3 milhões.

Os funcionários da Enersul temem que a mudança leve a demissões. A possibilidade de cortes foi levantada pelo Sinergia/MS (Sindicato dos Eletricitários de Mato Grosso do Sul), que classifica as proposta da Energisa como “indecentes”. A empresa tem 1,1 mil funcionários diretos. Em negociação salarial, os trabalhadores podem entrar em greve a partir de segunda-feira.

O plano da Energisa deve ser avaliado na próxima semana pela Aneel. Conforme a proposta de recuperação, o saldo devedor dos empréstimos e financiamentos da Enersul em 30 de junho de 2013 era de R$571,5 milhões, dos quais 25% (R$202 milhões) vencem até dezembro de 2014.

Para diminuir o endividamento, a proposta é fazer uma nova dívida, cobrindo R$ 474 milhões. A Energisa vai investir R$ 1,1 bilhão nas oito empresas. A Enersul atende a 94,4% da população de Mato Grosso do Sul, num total de 2,4 milhões de habitantes. O Grupo Rede assumiu o controle da distribuidora em 2008.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário