ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEXTA  05    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Prazo para pagamento das parcelas do FCO que venceriam amanhã é prorrogado

A negociação para prorrogação do pagamento deve ser feita diretamente nas agências do Banco do Brasil nesta quarta-feira

Por Adriano Fernandes | 31/03/2020 21:12
Secretário Jaime Verruck, titular da Semagro. (Foto: Kisie Ainoã)
Secretário Jaime Verruck, titular da Semagro. (Foto: Kisie Ainoã)

O pagamento das parcelas dos contratos do FCO Empresarial (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) em Mato Grosso do Sul, que venceriam nesta quarta-feira (1º), foi prorrogado. A negociação para prorrogação do pagamento deve ser feita diretamente nas agências do Banco do Brasil nesta quarta-feira. A medida só é válida para clientes que estão com as parcelas em dia e com limite de crédito vigente.

A prorrogação, que engloba as parcelas referentes aos meses de abril e maio de 2020, foi comunicada pelo Banco do Brasil ao Governo do Estado no final da tarde desta terça-feira (31). “Essa é uma medida positiva e urgente para a economia de Mato Grosso do Sul. Amanhã venceriam 6 mil operações do FCO Empresarial no Estado. Desses contratos, 86% são de micro, pequenos e médios empresários sul-mato-grossenses”, comentou o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), que preside o CEIF/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO).

O titular da Semagro ainda espera para amanhã novidades dos ministérios da Economia e do Desenvolvimento Regional nas demandas feitas pelo Governo do Estado para ampliar a carência do pagamento das parcelas do FCO e a extensão do benefício a um maior número de contratos do Fundo.

A Semagro também tenta uma ampliação dos recursos para financiamento de capital de giro dissociado, já disponibilizado aos pequenos empresários.

“Estamos confiantes que teremos boas notícias do governo federal. As medidas tomadas pelo banco são importantes, mas também temos outras solicitações, mais abrangentes, que foram reforçadas pelo governador Reinaldo Azambuja ao ministro da Economia e pelo CEIF, no âmbito do Ministério do Desenvolvimento Regional”, conclui Verruck.