A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 27 de Julho de 2017

14/07/2017 17:26

Preços dos produtos do café da manhã sobem o dobro da inflação na Capital

Aumento médio foi de 7,7% e, por produto, variação chega a 54%

Osvaldo Júnior
Alimentos do café da manhã estão mais caros em Campo Grande (Foto: André Bittar)Alimentos do café da manhã estão mais caros em Campo Grande (Foto: André Bittar)

Já no início do dia, o campo-grandense sente no bolso o gosto amargo da alta dos preços. Em um ano, os produtos do café da manhã encareceram, em média, 7,76%, mais que o dobro da inflação acumulada no período na Capital, de 3,19%. Por item, a alta chega a 54%. Os números são do Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas), da Uniderp.

O levantamento considerou variações de preços de 115 produtos de diversas marcas entre junho de 2016 e igual mês deste ano. Na relação, há café, pão, leite, chocolate, iogurte, suco, manteiga, margarina, preparo para bolo, cappuccino, cereal, entre outros alimentos.

Dos itens pesquisados, 73 (63% do total) encareceram. O aumento mais expressivo é de 54,3% e se refere ao leite fermentado Chamyto Nestlé (seis unidades): em junho do ano passado, custava R$ 4,42 e, no mesmo mês de 2017, R$ 6,82. Com essa diferença, o consumidor poderia adquirir, em 2016, três desse produto pagando R$ 13,26, valor pouco acima dos R$ 12,62 necessários na compra de dois itens neste ano.

Depois da inflação desse produto, as altas mais expressivas foram do café a vácuo Mellita, de 500 gramas (45,45%, de R$ 9,79 para R$ 14,24), do leite em pó desnatado Molico (44,01%, de R$ 17,77 para R$ 25,99), da manteiga Aviação de 200 gramas (43,69%, de R$ 8,62 para R$ 12,81), do leite em pó Ninho Fase 1 de 400 gramas (43,38%, de R$ 13,00 paras R$ 18,64), do cereal Kellogg's Corn Flakes (38,81%, de R$ 7,59 para R$ 10,54).

Quedas – Entre os itens que contabilizaram deflações, as quedas mais acentuadas foram apresentadas pela mortadela Sadia Sadilar (-59,83%, de R$ 23,15 para R$ 9,30), bolo Dr. Oetker (-27,80%, de R$ 8,23 para R$ 5,94), leite longa vida desnatado Batavo (-24,01%, de R$ 4,29 para R$ 3,79), leite longa vida integral Elegê (-18,30%, de R$ 3,99 para R$ 3,26) e bolo Renata sabores (-18,29%, de R$ 3,87 para R$ 3,16).

Consumo – A alta dos preços pode ser segurada pela substituição do consumidor de itens caros pelos mais baratos, comportamento próprio de época de economia fraca. “Os preços desses produtos tendem a cair mais, pois, o consumo diminuiu muito nos supermercados, o que provocou uma deflação neste mês de junho em Campo Grande”, afirmou o coordenador do Nepes, Celso Correia de Souza. “Portanto, a esperança é de que o café da manhã fique mais em conta nos próximos meses”, finalizou.

Preços dos produtos do café da manhã sobem o dobro da inflação na Capital
Temer prorroga prazo de saque do FGTS inativo em casos especiais
O presidente Michel Temer prorrogou a data limite para saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) nos casos em que o b...
Dólar fecha de novo em baixa após banco central dos EUA manter juros
O dólar aprofundou as perdas nesta tarde de quarta-feira, 26, após a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed), que ressaltou em comunic...
Juros básicos da economia voltam a um dígito depois de quatro anos
Pela sétima vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu ho...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions