ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 17º

Economia

Produtores rurais de MS mantêm atividades com reforço na proteção

Segundo a Famasul houve reforço na proteção e regras sanitárias para garantir que as atividades continuem

Por Leonardo Rocha | 30/03/2020 08:25
Produção de soja em MS (Foto: Semagro - Divulgação)
Produção de soja em MS (Foto: Semagro - Divulgação)

Para não haver desabastecimento de alimentos, os produtores rurais em Mato Grosso do Sul mantiveram as atividades, no entanto com reforço na proteção e controle sanitário, para reduzir os riscos de contágio do novo coronavírus. Foi o que garantiu as autoridades que representam o setor no Estado.

O presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), Maurício Saito, ponderou que as atividades no campo serão importantes não apenas para garantir o abastecimento (alimentos), mas também para ajudar o cenário econômico estadual e nacional, devido a crise gerada pelo novo vírus.

“Os produtores rurais, comprometidos em garantir que os alimentos não faltem à mesa da população, mantêm as atividades em pleno funcionamento, adotando todas as medidas sanitárias recomendadas pelos órgãos oficiais”, descreveu ele. Saito disse que desta forma, neste setor os empregos estão sendo mantidos.

Ele ainda destacou que a atividade no campo já tem características que ajudam neste controle, como o fato de ter fluxo pequenos de trabalhadores nas atividades, mas que os controles (sanitários) estão sendo cumpridos. “Neste momento, os cuidados com regramentos estão ainda mais intensos, com os produtores atentos às diretrizes do Ministério da Saúde”, pontou.

O secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, disse que o setor (produtivo) será fundamental diante da crise econômica. Ele entende que o momento é de acompanhar a cadeia produtiva, principalmente no quadro de oferta e demanda.

“As propriedades rurais de uma maneira geral vão se manter produzindo, várias delas trabalhando com uma série de medidas protetivas ao trabalhador, com limitação de entrada e de saída de pessoas”, ponderou.