A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Março de 2019

11/03/2019 12:13

Retomada de jornada de 8 horas atingirá 16 mil servidores e PDV terá parcelas

De acordo com o Secretário Estadual de Administração, Roberto Hashioka, ampliação da jornada não terá aumento significativo de despesa

Silvia Frias e Leonardo Rocha
Roberto Hashioka falou sobre o plano de retomar jornada de trabalho e o PDV (Foto: Leonardo Rocha)Roberto Hashioka falou sobre o plano de retomar jornada de trabalho e o PDV (Foto: Leonardo Rocha)

A retomada da jornada de trabalho de seis para oito horas diárias no Governo de MS irá atingir 16 mil servidores, conforme estimativa do secretário Estadual de Administração, Roberto Hashioka. Hoje de manhã, ele discutiu a proposta de 40 horas semanais de trabalho com representantes de sete sindicatos.

A reunião durou cerca de 2h30, sendo a primeira com grupos de sindicatos. Outras duas estão previstas para hoje à tarde, às 14h e 16h e outra amanhã, às 9h. A ideia é apresentar os termos do decreto que será apresentado pelo Governo de MS, que irá ampliar a jornada de seis para oito horas.

“Vamos voltar ao normal”, definiu Hashioka, lembrando que os concursos feitos pelo governo do Estado já previam jornada de oito horas. A redução foi feita em 2004, na gestão do governador Zeca do PT para reduzir gastos.

Desde então, vários servidores da Educação, da Fazenda, da Saúde e do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito) trabalham em regime diferenciado de seis horas.

De acordo com o secretário, a retomada da jornada de oito horas diárias não terá aumento significativo de custo para o governo estadual, que irá acrescentar vale-transporte para servidores.

Outra adequação será ampliar as linhas de ônibus na hora de saída e segurança no entorno do Parque dos Poderes. Sobre a alimentação, Hashioka diz que já há refeitórios que atenderiam demanda.

Nesta primeira reunião, participaram representantes do Sinsad-MS (Sindicato dos Trabalhadores e Servidores da Administração do Estado de MS), Sindifiscal (Sindicato dos Fiscais Tributários do Estado de MS), Sindifisco (Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita), Sinfae (Sindicato dos Funcionários Administrativos da Educação), Sindasp-MS (Sindicato Dos Agentes De Segurança Patrimonial Estadual), Sindafaz (Sindicato dos Servidores de Apoio à Administração Fazendária) e SPPD (Sindicato dos Profissionais de Processamento de Dados).

PDV – Além do decreto que retoma a jornada de trabalho, Hashioka apresentou alguns termos do PDV (Plano de Demissão Voluntária) a ser entregue à Assembleia Legislativa. "Quem não se adequar a essas 40 horas, já pode aderir ao PDV que será enviado essa semana, faltam só alguns detalhes".

Além da indenização com um salário por ano trabalhado, haverá bonificação e 30% em relação ao valor total, com parcelas corrigidas pelo IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo). Quem estiver em estágio probatório não poderá aderir ao plano e a demissão solicitada será avaliada pela gestão pública, podendo ser aceita ou não conforme a demanda do Governo de MS.



E quando será que o Sr. Governador irá mexer com seus comissionados que ganham Salários Exorbitantes??
 
Clebe PL em 11/03/2019 12:29:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions