ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  20    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Sem escoar soja, MS espera queda de arrecadação em maio

Por Redação | 13/05/2010 11:30

Com toneladas de soja retidas nos armazéns, Mato Grosso do Sul já se prepara para ter queda na arrecadação neste mês de maio. "A perspectiva é ruim", antecipa o secretário estadual de Fazenda, Mário Sérgio Lorenzetto.

Segundo ele, a economia sofrerá os impactos de medidas do governo federal e a dificuldade no escoamento da safra. "O governo obrigou os bancos a adquirir títulos, tirando R$ 140 bilhões de circulação e os grãos não estão saindo do Estado", afirma.

A comercialização da safra de soja, que teve produção recorde de 5 milhões de toneladas no Estado, está em ritmo lento devido ao preço. Segundo o corretor Leon Dávila, da Granos Corretora de Grãos, o mercado está "travado".

Os produtores querem R$ 32 por saca de 60 quilos, enquanto os compradores se dispõem a pagar de R$ 30,50 a R$ 31. Conforme o secretário, Mato Grosso do Sul tem 2,7 milhões de toneladas de soja em estoque, enquanto que, em condições normais de preço, o estoque seria de 1 milhão de toneladas.

No mercado, a probabilidade de que o preço pago pela soja suba é praticamente descartada, pois os Estados Unidos também deve ter uma excelente safra.

Se em maio as perspectivas de arrecadação são desfavoráveis, o mês de abril fechou com arrecadação de R$ 408 milhões em ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). "No mesmo patamar de antes da crise", ressalta Lorenzetto.

Nos siga no Google Notícias