ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 24º

Economia

Vendas do varejo têm leve recuperação em junho, após 2 meses de queda

Gabriel Maymone | 15/08/2017 10:16
Comércio volta a registrar alta nas vendas (Foto: Marcos Ermínio)
Comércio volta a registrar alta nas vendas (Foto: Marcos Ermínio)

As vendas no comércio varejista de Mato Grosso do Sul registraram alta de 0,8% em junho deste ano em relação ao mês anterior, segundo dados divulgados nesta terça-feira (15) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A Pesquisa Mensal de Comércio mostra que os dois meses anteriores foram de queda no volume de vendas no Estado, sendo 1,1% em abril e 0,1% em maio. No acumulado de janeiro a junho deste ano, o setor teve retração de 1,4% no volume de vendas.

Em doze meses, de julho de 2016 a junho de 2017, comerciantes viram suas vendas caírem 4,7%.

Considerando o comércio varejista ampliado, que inclui além do varejo as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, em junho de 2017 houve retração de 2,2% em relação ao mesmo mês do ano anterior. No acumulado de janeiro a junho deste ano a retração é de 3,7%.

Brasil – No país, o varejo teve alta de 1,2% nas vendas em junho deste ano, se comparado com o mês anterior. É a terceira alta seguida em relação ao mês anterior, na série livre de ajuste sazonal.

Das oito atividades pesquisadas no país, seis registraram alta nas vendas: móveis e eletrodomésticos (2,2%); tecidos, vestuário e calçados (5,4%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,7%); combustíveis e lubrificantes (1,2%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,5%); e livros, jornais, revistas e papelaria (4,5%).

Por outro lado, os seguintes setores tiveram queda no volume de vendas: hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com recuo de 0,4% após avanço de 1,1% registrado em maio; seguido por equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-2,6%).

Nos siga no Google Notícias