ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 22º

Educação e Tecnologia

Ainda sem data para volta, rede estadual terá máscaras no kit escolar

Governador Reinaldo Azambuja destacou que é a ciência que vai dizer quando as aulas vão voltar

Por Marcos Rivany | 23/11/2020 18:58
Estudantes ficarão em turmas separadas com espaço de 1 metro e meio entre carteiras. (Foto: Divulgação/MS/Arquivo)
Estudantes ficarão em turmas separadas com espaço de 1 metro e meio entre carteiras. (Foto: Divulgação/MS/Arquivo)

Aulas presenciais na rede estadual só ano que vem, mas com critérios. Nesta segunda-feira (23), durante a transmissão da SED (Secretaria Estadual de Educação), foi feito o lançamento do protocolo de volta às aulas que contou com a contribuição de 21 instituições, com uma série de estratégias, incluindo máscaras dentro dos kits escolares.

O retorno das aulas do estado ainda não tem data específica.

Entre os planos foram lincados quatro eixos que vão desde os protocolos de biossegurança a serem seguidos pelas escolas, como propostas para a tratativa do emocional dos estudantes.

Nos critérios para o retorno das aulas também estão turmas separadas, com separação de 1 metro e meio entre as carteiras, horários diferentes de entrada e saída, uso obrigatório de EPIs, higienização de mãos e calçados e aferição de temperatura.

Os protocolos de retorno foram apresentados pela secretária de educação, Maria Cecília Amendola que destacou que os planos já vinham sendo pensados desde os primeiros meses de pandemia. “Tudo isso foi pensado no mês de abril, então a gente correu com a licitação”, afirmou.

Reinaldo Azambuja, governador de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel, secretário de governo e a presidente do Instituto Articule MS, Alessandra Gotti, também participaram da live.

Alessandra faz parte da Comissão Provisória de Volta às Aulas, que tem o objetivo de “debater diretrizes para um retorno seguro” das aulas.

Um dos assuntos debatidos durante a transmissão foi a evasão escolar dos estudantes da rede estadual durante a pandemia. Um dos processos estabelecidos no protocolo vai ser a busca ativa desses alunos. Outro será a análise do currículo escolar para adaptação entre 2020 e 2021.

Em vários momentos da live, a secretária de educação ponderou a questão da equidade entre os estudantes. Maria Cecília disse que a análise é importante “para que o professor saiba onde cada aluno parou. Porque cada aluno está parando num nível. Uns têm mais acessos, outros menos acesso”, acrescentou.

O emocional dos estudantes também será foco do ensino. Uma das estratégias será usar as primeiras semanas de retorno às aulas para uma conversa com os alunos e assim entender como está cada um.

Alessandra, presidente do instituto, destacou três pontos importantes para que haja um retorno seguro dos estudantes às escolas. "Para mitigar os efeitos da pandemia na educação e superar os desafios que ainda virão, precisamos de três ingredientes: união de esforços, eficiência e um ambiente de segurança jurídica”, destacou.

O governador Reinaldo Azambuja reiterou a importância do protocolo de volta às aulas, mas disse que um retorno realmente seguro está nas mãos da ciência. “É a ciência que vai dizer pra todos nós se voltaremos ou não”, completou.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário