A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

01/11/2011 13:13

Abandonada, pista de motocross vira depósito de lixo e até óleo de motor

Fabiano Arruda

Circuito de Campo Grande foi inaugurado no ano passado e sediou competição internacional

Construída em padrão europeu, pista está tomada pelo matagal. (Foto: Simão Nogueira)Construída em padrão europeu, pista está tomada pelo matagal. (Foto: Simão Nogueira)

Inaugurada em agosto do ano passado, com investimento estimado em R$ 700 mil, a pista de motocross de Campo Grande, que fica na saída para Três Lagoas, está abandonada, tomada pelo matagal e virou depósito de lixo pouco mais de um ano depois.

Nesta manhã, é possível ver lixo como peças de roupas, garrafas pet e até óleo de motor, ao que parece, de caminhão, que escorre num ponto do terreno, o que traz prejuízo ambiental com a contaminação do solo.

À época da inauguração, o Motódromo da Capital centralizou as atenções da mídia especializada no esporte por receber etapa do Campeonato Mundial de Motocross.

No circuito, de 1.650 metros de extensão, formado com dois pontos altos nos extremos e uma grande depressão no meio, as rampas estão tomadas pelo mato.

A pista, projetada em padrão europeu, que tem seis pontos de "high jump", ou saltos altos, que podem chegar a 30 metros de altura, não recebeu manutenção ou reparos desde que foi inaugurada, segundo informações do presidente da Femems (Federação de Motociclismo de Mato Grosso do Sul), André Azambuja.

“Não conseguimos máquinas para reformar. Pedimos à prefeitura, pois não temos condições de promover os reparos, já que os cultos são altos”, comentou, admitindo que a manutenção do circuito “é meio incógnita”.

Um ano depois de ser inaugurada, pista serve de depósito de óleo de motor.Um ano depois de ser inaugurada, pista serve de depósito de óleo de motor.
Material escorre em terreno e causa prejuízo ambiental.Material escorre em terreno e causa prejuízo ambiental.

Para André, o ideal é realizar serviços de reparo no local a cada três meses.

“Se a pista for reformada, no fim de semana seguinte você vai ver entre 30 e 40 pilotos treinado”, garante.

O presidente da federação ainda atesta que os campeonatos de motocross pelo interior do Estado seguem com agenda cheia até o final do ano, ao contrário de Campo Grande.

“Temos competições até 18 de dezembro em todos os finais de semana, sem falhar nenhuma data”, pontua, destacando que a modalidade tem atraído cada vez mais adeptos.

Procurado pelo Campo Grande News, o presidente da Funesp (Fundação Municipal do Esporte), Carlos Alberto Assis, diz que a responsabilidade da manutenção da pista é da Femems. “Mas a federação não dá conta de fazer o trabalho”, admite.

Assis afirma que, como saída, a prefeitura deve promover reforma no circuito nos próximos dias para que os pilotos possam treinar. “Está sendo criada uma associação de pilotos de Campo Grande e a manutenção da pista será da associação posteriormente”, revelou.

Federação estadual de motociclismo diz não ter condições de fazer manutenção do circuito.Federação estadual de motociclismo diz não ter condições de fazer manutenção do circuito.
Ponto de salto desaparece, tomado pelo mato.Ponto de salto desaparece, tomado pelo mato.
Mundial de Motocross "batiza" pista da Capital amanhã
O circuito de motocross de Campo Grande, construído especialmente para receber a etapa brasileira do Campeonato Mundial, recebe seu "batismo" neste s...
Show de manobras radicais marca Mundial de Motocross
Entre os dias 21 e 22 de agosto acontece em Campo Grande o Campeonato Mundial de Motocross, com disputas nas categorias MX1 e MX2. O público que comp...
Pista ganha contornos "únicos" para Mundial de Motocross
Quando a poeira vermelha das obras da etapa brasileira do Campeonato Mundial de Motocross começa a se dissipar é possível ver o tamanho do evento que...
Mundial de Motocross prepara acesso a 50 mil
Foram definidas hoje as estratégias de trânsito, segurança e de acesso ao público para o GP Brasil do Campeonato Mundial de Motocross, que será reali...


Maria Silvério, se nós formos carpir o mato, você vem servir a marmita. Porque na hora de reclamar que não tem bons pilotos aqui você vem reclamar.
 
Marcelo Fellipe em 02/11/2011 12:12:44
Uma andorinha não faz verão, a união faz a força, se todo mundo colaborar teremos um lugar para esporte e a natureza agradece,
 
Aparecida Romeiro em 02/11/2011 02:09:47
Nós moradores (MARIA APARECIDA PEDROSSIAN) próximo a essa área temos muita preocupações quanto ao abandono e o crescimento do mato. Lugar propício para os malandros se encontram. Passou a ser caminho dos frequentadores do CETREMI que cortam caminho para mendigar na nossa comunidade, depois vão tomar pinga e fazer algazarras debaixo do viaduto! Quero lembrar que depois do evento do ano passado deixaram muita sujeira e o vento espalhou por toda região. Denunciamos na imprensa só depois que mandaram uns funcionários recolher copos papeis latas, papelões... O desleixo com a área é revoltante! Como é uma área extensa quando fizeram a limpeza do terreno para a realização para o evento mundial do ano passado a ventania provocou muita poeira que adentrava nas casas dos Residenciais Fernando Sabino e Maria Aparecida Pedrossian. Deu até matéria na imprensa. Moradores denunciaram na mídia! Espero que dê um destino adequado para essa área e o cuidado venha acompanhado de grama entre as vias da pista e o cercamento do local seja feito. Quanto ao derramamento de óleo temos mais fotografias e vamos apresentar na SEMADUR para as providencias! Prof. Janio Batista de Macedo – Presidente da AMAPE (Associação dos Moradores do Parque Residencial Maria Aparecida Pedrossian)
 
Prof. Janio Batista de Macedo em 01/11/2011 10:49:09
Por que os próprios interessados não pegam enxadas e mantém a pista?
 
Maria Silvério em 01/11/2011 07:23:40
Concordo com o Sr. Wellington Sampaio, mas além do comprometimento dos pilotos, precisamos de uma forcinha do Município.
 
Marcelo Felippe em 01/11/2011 05:13:26
O problema não esta so matagal, tiraram o cercado, a pista virou ....ate o lago esta danificado, sempre tem quatro rodas (jeep e outros), neste local, fica dificil para treinar neste local. Antes de fazerem comentarios, analise outros fatos que dificulta os treinos dos motociclistas etc....
 
Aparecida Romeiro em 01/11/2011 05:08:50
Se os 30 ou 40 motociclistas estivessem sempre treinando na pista, com certeza ela não estaria tão suja e com tanto mato.
Nota-se que há muito tempo não há sequer um dos 30 ou 40 motociclistas andando por lá. Passo sempre por lá, e desde que a pista foi reformada, ano passado, com R$ 700 mil, dá pra se contar nos dedos o número de motociclistas que a utilizaram. Isso é falta de comprometimento!!!
 
Wellington Sampaio em 01/11/2011 01:45:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions