A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

13/02/2017 18:18

Clubes lamentam volta da proibição da venda de cerveja no Morenão

Paulo Nonato de Souza
Na proibição do MPE, em 2014, o Campo Grande News constatou venda normal de cerveja no Morenão (Foto: Helton Verão)Na proibição do MPE, em 2014, o Campo Grande News constatou venda normal de cerveja no Morenão (Foto: Helton Verão)

A polêmica sobre a venda de bebida alcoolica nas praças esportivas sul-mato-grossenses voltou à tona esta semana, menos de um mês após a reabertura do Estádio Morenão. A comercialização de cerveja nos estádios é vetada desde 2010, quando o veto foi incluído no Estatuto do Torcedor, mas a tensão em torno da a proibição em Mato Grosso do Sul se arrasta desde 2014, quando o MPE (Ministério Público Estadual) exigiu o cumprimento da medida para evitar clima de violência entre os torcedores.

No sábado, enquanto o Comercial se preparava para enfrentar o Clube União/ABC, no Estádio Morenão, o diretor de futebol do clube, Paulo Sérgio Telles, revelou a reedição da proibição e também sua preocupação com o efeito da medida nas bilheterias.

“O Ministério Público determina que está proibida a venda de cervejas nos jogos dos times profissionais de Campo Grande”, declarou. “Para realizar uma partida de futebol profissional no Morenão o time já entra com uma despesa fixa de R$ 10 mil, e agora não pode sequer vender cerveja no estádio nem cobrar estacionamento para diminuir o prejuízo”, lamentou.

Na opinião do presidente do Operário, Estevão Petrallás, a proibição é excesso de zelo por parte das autoridades.

“Isso é preciosismo. Quando se fala em bebida alcoolica é evidente que estamos falando de cerveja, porque é o que se vende em estádios, e não há constatação de que o torcedor se embriaga no estádio”, declarou Petrallás.

Segundo ele, é estranho retomar essa discussão de proibição justamente no momento em que o futebol local colhe os frutos da reabertura do Morenão, que estava interditado pelo próprio MPE desde 2014.

“Queira ou não a venda de cerveja é um fator determinante para a volta do torcedor, e o que resta ao Operário é brigar pelos seus direitos e pela comodidade mínima do torcedor”, declarou.

LEI APROVADA NA CÂMARA LIBERA - Para a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), o Ministério Público Estadual não está levando em conta que a Constituição Federal permite aos municípios administrar suas questões.

Nesta segunda-feira, o assessor especial da presidência da entidade, Orlando Silvestre, encaminhou ao Campo Grande News uma cópia da lei promulgada pela Câmara Municipal de Campo Grande e publicada no Diário Oficial do município no dia 30 de maio de 2016, autorizando a venda de bebida alcoolica nas praças esportivas da Capital.

Veja o que diz a lei promulgada pelo presidente da Câmarsa Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB) em 24 de maio de 2016:

“Fica liberada a comercialização e o consumo de bebida alcoolica nos estádios de futebol localizados no município de Campo Grande, desde a abertura dos portões para o acesso ao público, até o final da partida, desde que servida em copos plásticos com os seguintes dizeres: “bebida e direção não combinam”ou “se beber não dirija”.

“Resta à Câmara Municipal exigir o cumprimento da sua lei, a lei que ela mesma aprovou e promulgou”, disse Orlando Silvestre.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions