A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/03/2013 09:38

Nem patrocínio e transmissão ao vivo conseguem lotar estádios em MS

Gabriel Neris
Parte de arquibancada completamente vazia em partida do Comercial e Novoperário, no dia 20 de fevereiro.Parte de arquibancada completamente vazia em partida do Comercial e Novoperário, no dia 20 de fevereiro.

O patrocínio de uma multinacional e a transmissão ao vivo pela televisão não foram suficientes para alavancar o futebol sul-mato-grossense. O número de torcedores nos estádios durante o Campeonato Estadual cresceu, comparado ao ano passado, mas ainda é considerado irrisório.

Embasado nos borderôs divulgados pela FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul), o Campo Grande News chegou a média de público pagante nos estádios: 525,71 torcedores nas dez rodadas da edição deste ano. Já no ano passado, a média era de 448,27 pessoas que pagaram para assistir aos jogos das primeiras dez rodadas. A edição completa de 2012 teve média de 532,98 torcedores.

Foram desconsideradas 12 partidas do ano passado que estão publicadas no site da entidade com borderôs de jogos realizados neste ano. O vice-presidente da FFMS, Marco Tavares, explicou que pode ter sido “um erro de programação do site”.

Já a média de público pagante em Campo Grande é ainda menor: 456,30 torcedores nas mesmas dez rodadas. Tavares acredita que a presença do público em todo o Estado subiria se houvesse maior apoio na Capital. “Se conseguisse melhor público em Campo Grande, passaria de mil a média. Não tem resposta positiva do torcedor”, avalia.

Tavares cita a partida entre Corumbaense e Itaporã, que foi realizada em Campo Grande no ano passado pela segunda rodada e recebeu só 86 torcedores no Morenão, partida com o menor número de pessoas no estádio. “Se fosse em Corumbá, daria três, quatro mil pessoas”, avalia.

A fase dos times em campo também não tem contribuído para angariar torcedores. O Novoperário não sabe o que é vitória há cinco partidas e o Comercial briga para não cair para a Série B pelo segundo ano consecutivo. A melhor campanha do Estadual é a do Cene, que tem média de 393,6 torcedores. “Os times não têm montado boas equipes”, reclama.

Se os números na Capital são ruins na edição deste ano, no ano passado a situação era pior. A média até a 10ª rodada era de 126 torcedores. No final do torneio, o público pagante foi de 186 pessoas. Em 2012 o futebol de Campo Grande foi representado por Cene, Comercial e MS Saad, times que não apresentam força nas arquibancadas.

Inexpressivo, o MS Saad teve média de 89,3 torcedores no ano passado. O clube com melhor média foi o campeão Águia Negra, que reuniu 1.114 torcedores. Em 2013, nenhum clube teve média com mais de mil pessoas. O melhor público até agora é do Misto de Três Lagoas, com 849,6 torcedores. A pior é da Serc com 177,5 pessoas no estádio.

Cene tem média de 393,6 torcedores por jogo na edição deste ano do Estadual (Foto: Arquivo/João Garrigó)Cene tem média de 393,6 torcedores por jogo na edição deste ano do Estadual (Foto: Arquivo/João Garrigó)

A situação é curiosa no grupo B. O time que tem levado mais torcedores é o lanterna Corumbaense, com média de 762,5 torcedores. Quem não empolgou o torcedor foi o Itaporã, líder do grupo, com média de 383,4 pessoas.

Entre os times da Capital o melhor público é do Comercial, que faz a pior campanha entre os três clubes. O Colorado tem média de 631,75 pessoas. O Cene aparece em segundo com média de 393,6 pessoas. O Novoperário tem média de 359,25 pessoas que pagaram para ver os jogos do time.

O jogo com melhor público pagante do Estadual foi a da abertura entre Comercial e Cene com 1.615 pessoas no estádio Morenão.

“Houve ume melhora e acabou com o paradigma de que os jogos ao vivo não levariam público”, cita Tavares.

O Misto foi o time que mais se aproveitou da comercialização de ingressos nas bilheterias. O time de Três Lagoas faturou até agora R$ 57.879,00 . A diferença é absurda para o Corumbaense, segundo colocado no ranking. O Carijó teve o retorno de R$ 28.720,00, R$ 360,00 a mais do Aquidauanense.

A pior renda nas dez primeiras rodadas é a da Serc com R$ 5.895,00. Entre os times da Capital, novamente o Comercial aparece em primeiro com R$ 18.150,00. O Cene faturou R$ 15.227,00, enquanto os torcedores do Novoperário pagaram R$ 13.330,00 para ver o time.



Só ficar reclamando não resolve nada.Os times do Pára(Remo e Payssandú) a muito tempo não jogam na Primeira Divisão e mesmo assim os torcedores naõ abandonam seus times.Os jogos de lá sempre tem público!Aquí só sabem reclamar e ficam assistindo times paulistas pela tv!Tem que estar nos estádios daquí, apoiar,cobrar dos dirigentes,cobrar dos próprios jogadores! Blog do pantaneiro
 
Joelcio Fernandes em 19/03/2013 19:44:40
Flamengo 2 X 3 Resende
Data: 13/03/2013
Público Total: 1.774 pessoas.
Flamengo tem a maior torcida do Brasil.
A falta de público é um problema nacional.
 
Roger Nascimento em 13/03/2013 23:23:48
É melhor assistir jogos em bairro de campo Grande!
 
Rones Gomes em 09/03/2013 07:29:23
Erik mude daqui.. pra pro Estado onde tem a elite do futebol... CRÍTICOS, porque voces não cobram do prefeito a liberação das praças esportivas pra que os times possam treinar normalmente? Porque voces não cobra do prefeito as melhorias no autódromo pra que Campo Grande possa voltar a sediar provas automobilisticas.. porque apenas o futebol e assim mesmo, alguns dos metidos a comentar.. nem sabem de nada.. são verdadeiramente maria vai com as outras (com todo o respeito pelas Marias que merecem a minha admiração)
 
Gilson Giordano em 08/03/2013 21:04:50
Carlos Alberto, presidente de nenhuma federação escala time de futebol.. a tarefa de contratar cabe única e exclusivamente aos dirigentes dos times participantes... Ricardo Teixeira ficou na cbf 24 anos.. e times deixaram de contratar? Não, né! então tá! Leonardo acontece que infelizmente às essas pessoas q eum respondi.. não são daqui do Estado.. primeiro bobão.. em outros Estados.. os jogos mostrados pela TV são os locais cara larga de escrever bobagem... apenas aqui em Mato Grosso do Sul.. que voces bobos pensam de forma.... vai até Salvador. vai à fortaleza.. a Belem do Pará.. vai lá. vai a minas vai pra vc ver de perto e depois não ficar aqui escrevendo bobagens.
 
Gilson Giordano em 08/03/2013 20:58:49
Marcelo Alves.. bom são os times do Rio de Janeiro né: Audax...Quiçamã.. alias são ótimos.. até hoje.... Volta Redonda.. entre outros.. isso prova que vc manja de futebol e muito viu. Erik, larga de ser bobão cara.. quer dizer que o jogo Santos e Corínthians, Flux Vasco e Botafogo e Flamengo foram bons? Sai dessa bobão... Diego e os demais Estados têm Rapaz.. Mato Grosso do Sul tem apenas 44 anos.. Rio 426 São Paulo 400 e larau.. antes eu tinha apenas 20. Mauro isso é fácil tente snsibilizar Toni a deixar o Operário pra o time voltar às competições... tente quem sabe vc consiga.. rapaz em 70.. o carro do ano era opala e na época não era exigido o cinto de segurança.. o retrovisor era opcional.. rrsr acorda cara hoje tudo é diferente....Carlos Alberto, presidente de Federação não co
 
Gilson Giordano em 08/03/2013 20:54:36
Vergonha!
 
Anderson Silva em 08/03/2013 19:56:55
Foi um aumento considerável de público!
Não se começa a ter estádios lotados de um ano para outro.
O aumento é gradativo.
O Carioca e o Paulista têm estádio lotado só em clássicos e olha lá ainda.
O jogo mais recente do Fluminense na Libertadores deu 12.000 torcedores aproximadamente.
 
Roger Nascimento em 08/03/2013 16:10:30
Eu acho que os horários não são adequados, eles querem competir com os jogos de outros estaduais, não dá, façam nas terças a noite e sábados a tarde, acredito que será mais assistido, pois os jogos são bons e valem a pena.
 
leonardo batalha em 08/03/2013 14:26:25
E não adianta mesmo. Pois o problema é uma associação de fatos:
1° Presidente da federação , há muito está no cargo ( 1982 ), e não tem feito absolutamente nada para o mesmo, fez com que o futebol caisse em descredito total.
Enquanto negligenciar que ele é um dos motivos da atual situação, esqueçam investir neste defunto.
2 º A falta de credibilidade leva a falta de investimento por parte de empresas.
3° Não tendo comando competente ( descredibilidade ) + falta de investimento = pouquissimo publico.
Tá ai conta.... dificil de resolver ? Não, mas tem que ter coragem.
 
carlos alberto em 08/03/2013 11:02:26
Futebol do MS infelizmente é uma piada, pra começar os nomes dos times..os que não terminam com .inhense ou é novo não sei o que.. de tradicional mesmo só o comercial.
 
marcelo alves em 08/03/2013 10:32:47
Mudanças na Federação; se times do MS deixar de dar vexames nas competições nacionais; se Comercial e Operário com times razoavelmente estruturados e, principalmente, o retorno da rivalidade entre clubes (Comercial e Operário) e entre cidades como Campo Grande X Corumbá X Dourados pode ser que se consiga em alguns anos retomar aos bons tempos das décadas de 70 e 80.
 
Mauro Elkhoury em 08/03/2013 10:32:33
Vejo o estadual melhorando em 2013 vai demorar um tempo para o publico querer ir ao estadio assistir os jogos devido ao estado não ter times de expressão como antes.
 
Diego Souza em 08/03/2013 10:23:34
E eu perdendo os jogos da elite do futebol....
 
erick dos santos em 08/03/2013 10:10:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions