A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

21/08/2018 18:12

Nos 80 anos, Operário comemora mesmo é quitação de dívida

Chapa encabeçada pelo presidente Estevão Petrallas é aclamada. Dirigente celebra redução de dívida de quase R$ 13 milhões

Gabriel Neris
Nelson Antônio da Silva e Estevão Petrallas durante eleição nesta terça (Foto: Operário FC/Divulgação)Nelson Antônio da Silva e Estevão Petrallas durante eleição nesta terça (Foto: Operário FC/Divulgação)

A chapa encabeçada pelo atual presidente do Operário, Estevão Petrallas, foi eleita para administrar o clube por mais quatro anos. A nova gestão terá início no dia 1º de setembro com término até 2022. Mesmo reeleito, o dirigente afirma que deixa o cargo no fim deste ano e prepara o vice, Nelson Antônio da Silva, para o seu lugar. Entre as ações fora de campo, o dirigente comemora ter praticamente zerado as dívidas do clube.

A eleição foi realizada nesta terça-feira (21), data que o clube completa 80 anos de fundação. Foram 37 votos para confirmar Petrallas como presidente, único candidato. Segundo ele, este período até o fim do ano será um “laboratório” até a saída em definitivo. “É um laboratório para que o Nelson possa assumir, vamos acelerar o planejamento”, diz Petrallas.

Nos próximos meses os dois devem trabalhar juntos na composição do elenco que disputará a temporada 2019. Além de defender o título do Estadual, o Operário representará Mato Grosso do Sul na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro da Série D. Caso seja realizada, a Copa Verde também deve contar com a presença do Galo.

“A situação de que o Operário está hoje é diferente do que estava antes. Não recebemos nada. Não tinha sede, sem lugar de referência, sem crédito”, afirma.

Segundo o presidente do clube, atualmente não há dívidas trabalhistas e o clube conseguiu zerar os atrasos de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) através da Timemania, que estavam calculados em cerca de R$ 600 mil. Petrallas aponta que as dívidas que eram de R$ 12,7 milhões caíram para R$ 2,5 milhões com a adesão ao Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro).

Nelson projeta o Operário com foco no Estadual e no acesso a terceira divisão do Campeonato Brasileiro, mas afirma que o clube precisará de apoio para conseguir alcançar seus objetivos. “Essa fase de reestruturação do Operário continua, em busca da credibilidade junto aos empresários locais e também fora do Estado, para que a gente tenha uma estrutura forte e uma equipe competitiva no próximo ano”, disse o diretor.

A reestruturação do clube fora de campo trouxe resultado exatamente no último ano de Petrallas a frente do clube. O Galo pôs fim a um jejum de 20 anos sem título do Estadual. Retornará a Copa do Brasil depois de 13 anos e retornará ao Campeonato Brasileiro depois de 11 anos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions