A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


02/05/2014 06:00

A "maldição da chuva" e a falta de espaço adequado para shows

Marta Ferreira

Efeito São Pedro -  Já é quase uma máxima em Campo Grande, nos últimos anos: se tem show marcado, tem chuva. Neste feriado do Dia do Trabalho, vários eventos, entre eles a apresentação do Tremendão, o cantor Erasmo Carlos, foram impedidos pelo mau tempo, numa época que não costuma ser de chuvas intensas. 

Memória - Tantos cancelamentos num dia só fazem lembrar de outras situações do tipo, que criaram uma espécie de "maldição da chuva" para eventos artísticos. Basta lembrar que artistas que atraem grandes públicos, como Ivete Sangalo e Luan Santana já tiveram shows com grande estrutura cancelados por causa dos estragos do mau tempo em Campo Grande.

Falta espaço - Nessas horas, o público até brinca com a coincidência das chuvas e shows, mas o que as situação faz lembrar, mesmo, entre quem trabalha para realizar os eventos, é a falta de um espaço adequado, coberto, para fazer shows de grande público na cidade. Com a palavra, os investidores do ramo do entretenimento.

Antecipou - Frequentadores da Expogrande avaliaram, neste fim de semana, que o efeito das polêmicas em torno dos shows no evento, e as restrições aos horários, apenas promoveu a troca de horário da "balbúrdia" ligada às apresentações musiciais. Se antes elas ocorriam depois dos shows, já de madrugada, agora a turma da bagunça se reune antes das apresentações.

Reclamação - Na quarta-feira, durante o show da dupla Jorge e Mateus, uma das mais populares que se apresentam na Expogrande 2014, houve reclamações sobre o acesso aos camarotes do evento. A queixa principal é de que pessoas que não pagaram pelo lugar privilegiado puderam entrar, provocando tumulto.

Na chuva - A dupla de Goiás, aliás, enfrentou a chuva que começou ontem e não parou durante o feriado, mas se manteve no palco. No Facebook deles, o show molhado teve uma leitura quase poética, com fotos de cada um e trechos de música que falam do tema. A dupla vem a Campo Grande pelo menos uma vez por ano e costuma encerrar sua turnê de shows por aqui. Eles cantaram para um público de 25 mil pessoas.

É hoje ? Os bastidores da política hoje são de olhos bem abertos para o desfecho das articulações do PSDB e o PT no Estado, já que nesta sexta-feira (2) o senador Delcídio do Amaral (PT) poderá anunciar se tem autorização do PT para se aliar com Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta eleição. Dependendo do resultado, novas alianças podem ser formadas no Estado.

IndiferenteA direção estadual do PMDB continua dizendo que o resultado deste “diálogo” entre PT e PMDB no Estado não altera os planos e planejamento da legenda, que está concentrada em fortalecer a dupla Nelsinho Trad e Simone Tebet. Entretanto, já reconheceu que uma terceira via na disputa do Governo altera o processo eleitoral em Mato Grosso do Sul.

RetornoApesar de terem anunciado que não haveria mais sessão comunitária neste semestre, os vereadores voltaram atrás e decidiram marcar para semana que vem, na próxima quarta-feira, uma edição no bairro Santa Emília. A diferença é que desta vez o evento será à noite, o que possibilita que muitas pessoas que trabalham ao longo do dia possam participar.

Dúvidas - Os deputados, prefeitos e moradores de cidades que poderão receber impostos com a duplicação da BR-163, poderão esclarecer as dúvidas na audiência pública marcada na Assembleia, para próxima quarta-feira. Entre as questões a serem debatidas é a situação de comerciantes que trabalham na faixa da rodovia e que podem ser afetados com esta concessão.

(Colaborou Leonardo Rocha)

 

 

 

 

 

 

 

A missão espinhosa de Marun
Casa cheia - No discurso em que saudou Carlos Marun como seu novo ministro da Secretaria de Governo, Michel Temer disse ter ficado preocupado com a p...
Só praças estão presos por cobrar propina
Só praças – A investigação sobre o envolvimento de policiais militares com a “Máfia do Cigarro” indica que, por ora, não há oficiais entre os policia...
Pezão pede dica a Reinaldo sobre dívida
Pedido de ajuda - Ao anunciar ontem o depósito do décimo-terceiro salário dos servidores, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reforçou o discurso d...
Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...


Esse titulo é um absurdo ¨maldição da chuva¨ chuva não é maldição, chuva é benção de Deus, quero ver se Deus decide não enviar mais chuva na nossa terra, ai quero ver, manda essa pessoa que fez essa matéria la para os estados que não chove, ai ela vai aprender a orar e pedir a Deus mandar chuva.
 
HIGOR CHAVES NANTES em 02/05/2014 17:56:38
O "pouco que tem" está acabando, não é por causa dos vizinhos, mas porque os responsáveis não querem investir em locais adequados para realizar esses shows. É como querer abrir uma fábrica altamente poluidora, sem instalar filtros para fumaça e para a água.
 
Guilherme Arakaki em 02/05/2014 16:04:55
Campo Grande não tem e nunca teve estrutura para receber grandes shows, o pouco que temos está acabando por causa dos vizinhos, estamos fadados a ser uma cidade sem entretenimento.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 02/05/2014 09:57:03
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions