A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


01/03/2016 06:00

Ex-diretores dizem que omitiam problemas em escolas

Waldemar Gonçalves

Contra senso – Exonerados dos cargos recentemente, ex-diretores de escolas municipais estão magoados. A ponto de revelarem, em reunião com vereadores, ontem, que escondiam da imprensa problemas internos das unidades educacionais, como falta de merenda e precariedades na estrutura, para poupar desgaste da Prefeitura. A Escola Municipal Professora Oliva Enciso, por exemplo, ficou seis meses com a biblioteca fechada em 2015 porque a professora responsável tirou licença e não foi substituída. Agora, iniciou o ano sem sala de tecnologia e precariedade nas salas de ciências.

Balanço e metas I – Apresentação de Resultados – 1 Ano de Realizações e assinatura dos Contratos de Gestão. Este é o nome dado pelo governo de Mato Grosso do Sul para ato, na quarta-feira (2), em que o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), fará um balanço do primeiro ano de governo e falará das metas para os próximos meses. Pelos dados oficiais, 65% das propostas previstas para 2015 foram executadas.

Balanço e metas II – O percentual é considerado positivo por Reinaldo. “Estamos trazendo para o serviço público o mesmo patamar de eficiência do setor privado”, avalia o governador. A Caravana da Saúde, que esta semana chega a Aquidauana, é uma das iniciativas que entram no balanço positivo, segundo ele. Outra é o reajuste salarial dos professores, concedido na semana passada.

Juros e estradas – Uma das metas do governo tem foco na logística. A ideia do governo é reaplicar, em rodovias, dinheiro gasto até então com os juros da dívida do Estado, que está sendo renegociada a valores menores – de 21% para 4,5% ao ano. “Nosso objetivo é pavimentar mais de 1 mil quilômetros e recapear mais de 250 quilômetros de rodovias que estão em situação precária. Esse é o nosso programa de reestruturação da malha viária atrelada ao refinanciamento da dívida”, explicou.

Contra a CPMF – O governador voltou a dizer ontem que é contra a recriação da CPMF. Disse acreditar que existem outros meios e formas de recuperar a economia. “Os governos estaduais já estão ajudando com os ajustes fiscais, no entanto o PSDB já se mostrou contra esta opção, nosso assunto com a Dilma é outro”.

Campanha – A possibilidade da volta do antigo “imposto do cheque” é, inclusive, um dos temas da campanha Acorda MS – Chega de Impostos”, que será lançada nesta terça-feira (1) pela Fiems, Fecomércio, Famasul, Faems e OAB-MS. Segundo o material de divulgação da iniciativa, atualmente o brasileiro paga mais de 90 tributos por ano, a maior parte incidindo sobre o consumo.

Ninguém quer – Presa desde a semana passada por confessar que torturava o sobrinho, de apenas 4 anos, em rituais de magia negra, em Campo Grande, uma mulher 31 anos está isolada em uma cela de delegacia em Corumbá porque nem a comunidade carcerária aceita a convivência com ela. A Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garante já ter planos para transferir novamente a mulher, mas os mantêm sob sigilo.

Voando – A deputada Mara Caseiro revelou que irá amanhã para Brasília conversar com a direção nacional do PMB sobre seu vôo ao ninho tucano. A intenção é ter o aval para deixar o partido e seguir para o PSDB. Mara ressaltou que na quarta-feira (2) deve divulgar a sua decisão oficial.

Convidados – O governador confirma que fez os convites a Mara Caseiro e Mauricio Picarelli (PMDB) e que agora apenas aguarda a resposta dos deputados. Também relatou que deve conversar com Marquinhos Trad, quem avalia ser um bom aliado, mas acredita que irá para o PSD.

Pré-candidato – Ricardo Ayache, pré-candidato a prefeito de Campo Grande, disse que até o momento não existe outro nome do PSB e que espera uma definição do partido para o fim de março. Também confirma que o deputado José Carlos Barbosa deve ser candidato em Dourados.

(com a redação)

DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...


Não são apenas as escolas que estão omitindo a real situação interna, outras secretarias municipais também escondem a falta de materiais para uso interno e até para atendimento ao público ou usuários do sistema municipal.
Em troca de um salário mensal, comissionados do prefeito dizem que tudo está ótimo e "perfeito", não falta nada e tudo corre de acordo com a administração das "pessoas em primeiro lugar". O que mais está em falta na realidade é a falta de vergonha na cara da administração Bernal e seus contratados que se vendem e ficam na mão dos secretários como marionetes enquanto a população paga um preço alto andando em meio a ruas esburacadas, imundas e escuras, bem como a imagem de uma prefeitura, é o reflexo mais perfeito que já vi.
 
Guto em 01/03/2016 08:32:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions