A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


04/07/2014 06:00

Outro "detalhe" contra Bernal

Edivaldo Bitencourt

Mistério - O governador André Puccinelli (PMDB) também confessou, ontem, que não sabia que o vereador Mario Cesar (PMDB) iria tentar a reeleição na Câmara Municipal. Além dele, o prefeito Gilmar Olarte (PP) tinha dito que ficou surpreso com a decisão do peemedebista.

Ritmo de despedida - Puccinelli ressaltou durante o discurso, na Governadoria, que já está em ritmo de despedida do executivo estadual, e ainda ponderou que depois não poderá ajudar os prefeitos como antes. "Vão poder contar com o meu ombro amigo para chorar, porém haverá pouco lenço para as lágrimas", filosofou.

Preferência – Os prefeitos preferem ir a Brasília do que buscar recursos em Campo Grande. O governador até ameaçou contar o motivo da preferência pela capital federal, mas desistiu. Ele realizou dois eventos com prefeitos na quinta-feira.

Ausência - Puccinelli revelou no início do evento, na Governadoria, que o deputado estadual Carlos Marun (PMDB) não pôde comparecer à solenidade porque se recupera de um coice. Segundo o governador, o deputado teve que passar por uma drenagem no local.

Tentativa - O prefeito de Naviraí, Léo Matos (PV), voltou a dizer que está atrás da direção estadual do PV, para contestar o resultado da convenção que decidiu pelo apoio ao senador Delcídio do Amaral (PT) e deixou alguns pré-candidatos ao legislativo de fora. Léo Matos garante que vai fazer campanha para Nelsinho Trad (PMDB).

Um detalhe – O ex-prefeito Alcides Bernal (PP) não pode ser candidato nas eleições deste ano por mais um motivo. Ele assumiu a Prefeitura da Capital por oito horas no dia 15 de maio deste ano após liminar da Justiça. Pela lei eleitoral, candidato nas eleições deste ano não pode ocupar cargo desde 5 de abril.

Na berlinda – A candidatura de Alcides Bernal está na berlinda porque ele teve os direitos políticos suspensos por oito anos. Como foi cassado pela Câmara Municipal, não poderia ser candidato. No entanto, ele preside o PP e teve o nome homologado em convenção como candidato a senador.

AmémVereadores levaram um susto ao verem a vereadora Grazielle Machado (PR) se dirigir à mesa logo após o presidente, Mario Cesar, inscrever a chapa para disputar a reeleição. No entanto, ela não foi inscrever outra chapa, mas dar o salmo 121 para ser lido durante o início dos trabalhos.

Balanço – Mario Cesar apresentou o balanço do primeiro semestre ontem. Ele disse que foram 42 audiências com a comunidade, sendo que em nove teve a participação da administração municipal. Os vereadores apresentaram 1.512 indicações após ouvir os moradores.

Festa – O secretário municipal de Finanças, André Scaff, acompanhou, na primeira fila, a eleição que reconduziu Mario Cesar para mais um mandato de presidente da Câmara. Logo após a votação, os vereadores foram festejar a eleição no restaurante Vermelho Grill, nos altos da Avenida Afonso Pena.

(colaboraram Kleber Clajus, Ludyney Moura e Leonardo Rocha)

2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions