A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


16/11/2012 06:00

Pedido aos céus

Jogo Aberto
O prefeito olha para o céu e pede que a chuva não provoque estragos.O prefeito olha para o céu e pede que a chuva não provoque estragos.

Por favor, chuva!

Ao participar de solenidade pública esta semana, o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho(PMDB), protagonizou  cena curiosa, registrada pelo fotográfo Minamar Junior. Ao deixar o gabinete localizado na avenida Mato Grosso, na Vila Ferroviária, olhou para o céu, que tinha jeito de temporal, como quem cantava "oh, chuva, eu peço que caia devagar".

Histórico

Motivos ele tem para fazer o pedido, afinal já definiu as chuvas atípicas que ocorreram durante sua administração como um das dificuldades que enfrentou. Em pelo menos duas situações, em apenas um dia choveu valores recordes para Campo Grande e a cidade sofreu com estragos.

Salgado

O gasto de campanha da vereadora Magali Picareli, que não conseguiu a reeleição neste ano, foi de R$ 441,6 mil, segundo a prestação de contas final à Justiça Eleitoral.

Ranking

Caso fosse inserido entre os 29 vereadores que se elegeram, o custo da peemedebista durante o pleito ficaria como o segundo mais alto.

Alta despesa

Outro candidato que investiu quantia considerável em busca de uma vaga na Câmara a partir do ano que vem foi Roberto Oshiro, integrante da diretoria da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas). A despesa foi de R$ 324,1 mil.  

Colocação

Na comparação entre os vereadores eleitos, o investimento de Oshiro ficaria entre os cinco mais altos.


Lista

Entre os outros vereadores que não conseguiram se reeleger, Marcos Alex, do PT, teve gastos de R$ 147,3 mil; Loester Nunes teve custos de R$ 130,1 mil e Clemêncio Ribeiro teve despesas de R$ 128 mil.

Indiferença

O governador André Puccinelli minimizou a informação de que o prefeito eleito, Alcides Bernal (PP), teria manifestado rejeição a nomes do PMDB para concorrer à Presidência da Câmara na próxima legislatura.

Tanto faz

Para ele, é indiferente o posicionamento do progressista já que, segundo o governador, o PMDB "não está pleiteando o cargo".

Sem interferências

O prefeito Nelson Trad Filho também opinou sobre o assunto. Na visão dele, o chefe do Executivo não deve interferir em questões do Legislativo. Trad pontuou que a eleição da Câmara deve ocorrer num consenso que envolve apenas os vereadores. É outra situação, que, nos bastidores, não se concretiza.


Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...
Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions