A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


14/12/2012 06:00

Requisitado

Em seus últimos dias de oito anos de mandato, o prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PMDB), continua bastante requisitado. Além da agenda cheia, com vários compromissos públicos todo dia, o gabinete segue movimentado. Nesta quinta-feira, por exemplo, eram quase 18 horas e havia quatro vereadores aguardando para serem atendidos pelo prefeito.

Contador de história
Apesar da correria, o prefeito ainda tirou tempo, ontem, durante solenidade no gabinete da Esplanada, de contar a história da reforma do lugar. Ele lembrou que em uma das salas antes eram dois quartos e que, quando foi feita a alteração, chamou os ex-prefeitos Ludio Coelho (já falecido) e Juvêncio César da Fonseca para formar o conselho de ex-prefeitos.

Ajuda
Em tom já saudosista, Trad comentou que quando tinha uma dificuldade, pedia ajuda aos ex-administradores. “E eu saía daqui com uma tranquilidade”.

Pedra e vidraça
Trad comentou que a partir do ano quem, com a volta à atividade médica, vai sentir na pele o outro lado da saúde, uma das áreas mais complicadas de toda administração pública no Brasil. “Vou estar de branco, atendendo na saúde pública”, comentou.

Futebol
Até em meio ao clima de votações polêmicas como a do IPTU, teve espaço para o futebol na Câmara dos Vereadores, ontem. O presidente da Casa, Paulo Siufi, ergueu uma faixa em alusão ao título do São Paulo na Copa Sul-Americana.
Ontem ele foi ao jogo, segundo os funcionários dele.

Que dia
Ao sair da votação do IPTU, Siufi desceu para atender a imprensa e disse que estava com a mão gelada. Definiu como "histórico" o congelamento do imposto.

Acho que dá
Ao comentar a votação do IPTU, Siufi previu, ainda, que deve passar a emenda ao orçamento que reduz o poder de suplementação do próximo prefeito. "É um prenuncio que ela seja aprovada".

Se ele quer...
O clima não anda bom para Bernal desde já na Câmara. Vereadores ouvidos pela coluna disseram ontem que, se o prefeito eleito não quer reajuste salarial, eles vão votar dessa forma. O problema é que várias categorias já reclamaram que, sem o reajuste do prefeito, o salário delas fica congelado.

Dias difíceis
Para o vereador Carlos Augusto Borges, 2013 vai ser um ano difícil na Câmara, com 29 vereadores. A análise dele é que, se com 21 vereadores o prefeito eleito Alcides Bernal, não está mantendo diálogo com a Casa, imagine com mais vereadores.

Resignação
Até então um dos aliados de primeira hora de Bernal, o vereador Athayde Nery disse ontem que ajudou Bernal até agora pela “governabilidade” na Prefeitura, mas garantiu que não negocia cargos, nem está pedindo cargos na próxima administração. “Acho que não vamos ter cargos”, disse.

Pezão pede dica a Reinaldo sobre dívida
Pedido de ajuda - Ao anunciar ontem o depósito do décimo-terceiro salário dos servidores, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) reforçou o discurso d...
Após "perder" cargo, deputado muda o tom
Mudou – Antes cotado para assumir uma secretaria do governo do Estado, o deputado Coronel David (PSC) está agindo ultimamente como oposição ao Govern...
Reinaldo apoia crescimento dos evangélicos
Decisão divina - Palestrante principal do Fórum Evangélico realizado nesta segunda-feira em Campo Grande, a cantora e pastora Damares Alves disse que...
2018 será ano mais curto para o Legislativo
Três meses – Carnaval, Semana Santa, campanhas eleitorais, Copa... Tudo isso encurta 2018 para os trabalhos legislativos. A observação é de Fábio Tra...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions