ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 28º

Arquitetura

Até vizinhos ganham reforma para ‘cracolândia’ virar área nobre

Para tentar se vender, empreendimento investiu em recapeamento e reforma do muro das residências

Por Idaicy Solano | 15/06/2024 07:29
Lídio varrendo a calçada que acabou de ser reformada, assim com o muro de sua casa, que é vizinha do novo hotel (Foto: Paulo Francis)
Lídio varrendo a calçada que acabou de ser reformada, assim com o muro de sua casa, que é vizinha do novo hotel (Foto: Paulo Francis)

Na promessa de “salvar” a região em que está localizado o prédio em que costumava funcionar a antiga Rodoviária de Campo Grande, e transformar o Bairro Amambaí em área nobre, até os muros dos vizinhos ganharam reforma na esquina das ruas Vasconcelos Fernandes e Rua Dom Aquino.

Bem na esquina, costumava ficar um prédio caindo aos pedaços ocupado por pessoas em situação de rua e usuários de drogas, o que era sinônimo de 'dor de cabeça' para os moradores e para o comércio local. O cenário de abandono, no entanto, pareceu encontrar uma mudança com a promessa de elevar o padrão arquitetônico do bairro com a sua reforma.

A nova instalação promete 18 apartamentos de 1 e 2 quartos para aluguel de temporada, além de 2 salões comerciais, sendo um deles de esquina. Os apartamentos serão totalmente mobiliados para a hospedagem. A expectativa é de que o hotel gere mais de 100 empregos diretos e indiretos.

O empreendimento, para tentar se vender, promete afastar a população em situação de rua e os usuários de drogas da região. Para isso, investiu até no recapeamento de um pedaço da rua Vasconcelos Fernandes, entre as ruas Dom Aquino e Marechal Rondon, e na reforma do muro das residências vizinhas, que devem ganhar uma nova pintura nos próximos dias, conforme explica o vigilante da obra, Iran de Lima, 60.

Iran diz que o dono do empreendimento fez um acordo com os proprietários das casas no entorno e reformou todos os muros. A previsão é de que todos ganhem pintura nova na próxima segunda-feira (17).

O vigilante Iran defende que empreendimento irá reerguer o bairro (Foto: Paulo Francis)
O vigilante Iran defende que empreendimento irá reerguer o bairro (Foto: Paulo Francis)

Apesar de prometer “redefinir a paisagem urbana e revitalizar uma área há muito marginalizada”, enquanto o hotel passa a ganhar forma, o empreendimento é vizinho do prédio da antiga rodoviária, cujo a obra de revitalização da prefeitura caminha a passos lentos. O problema nos arredores do prédio público é antigo e se arrasta por mais de uma década. Por mais que o empreendimento afaste, por ora, os usuários de drogas do entorno, eles acabam se aglomerando em outras esquinas.

Por mais que a comerciante Ariadne Calisto, 54, acredite que o empreendimento novo seja bom para erguer a imagem do bairro, ainda é necessário acabar com o “coração” do problema: o abandono do prédio da antiga rodoviária. “A decadência aqui é a rodoviária, porque os ‘noiados’ ficam tudo ali. Eles [pessoal do empreendimento] conseguiram tirar eles daqui porque eles tem dinheiro pra isso. Mas eles foram parar ali [do outro lado da rodoviária]. Então, a rodoviária que é o coração”, conta.

O aposentado Lídio Pereira, 70, é um dos moradores que teve o muro da residência reformado pela empreiteira e expressa que tendo o hotel como vizinho, finalmente vai poder dormir tranquilo. Mas ele pontua que se o empreendimento acabar “esquecido” como a antiga rodoviária, todo o esforço não será o suficiente. “Vai dar uma força mais pro lugar. Mas não sei, vamos ver. Deixa passar mais uns 10 anos e ver se melhora, não é? A esperança é melhorar”.

Lídio tem esperança de dias mais tranquilos, longe do cenário complicado com moradores de rua. (Foto: Paulo Francis)
Lídio tem esperança de dias mais tranquilos, longe do cenário complicado com moradores de rua. (Foto: Paulo Francis)

Apesar de não morar na região, o aposentado Ramon Pereira, 67, frequenta o local e em sua observação, o novo hotel irá ajudar a elevar o bairro, principalmente o comércio, porque “vem alguém passear, ver o lugar, e pode querer vir pra cá se instalar”, opina.

Aposentada, que não quis se identificar, mora na rua lateral do prédio abandonado do terminal há 50 anos, e relembra que “aqui eram casas de família e acabaram com tudo”. Vizinha dos moradores de rua, ela conta que viu, com os passar dos anos, os prédios serem abandonados e na sequência ocupados por usuários de drogas, modificando a imagem do Bairro Amambai como ela conhecia.

Ao observar pela janela de casa o hotel tomando forma, enxerga no empreendimento uma esperança para que mais empresários olhem para a região e decidam investir ali também. “A gente espera sempre que melhore”, comenta.

A equipe de reportagem procurou a Prefeitura de Campo Grande, através do e-mail, para pedir atualizações sobre o andamento da obra na antiga rodoviária e aguarda retorno.

Rua foi recapeada e muros foram reformados pela empresa responsável pela obra (Foto: Paulo Francis)
Rua foi recapeada e muros foram reformados pela empresa responsável pela obra (Foto: Paulo Francis)
Fachada do novo hotel que será inaugurado mês que vem no Bairro Amambai (Foto: Paulo Francis)
Fachada do novo hotel que será inaugurado mês que vem no Bairro Amambai (Foto: Paulo Francis)
Suítes prometem ser de alto padrão e oferecer conforto aos hóspedes (Foto: Divulgação)
Suítes prometem ser de alto padrão e oferecer conforto aos hóspedes (Foto: Divulgação)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias