ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 23º

Arquitetura

Marcelo transforma apê de 65 m² em “selva” com mais de 100 plantas

Com variedade de espécies que sobrevivem dentro de casa, engenheiro conquistou natureza particular

Por Thailla Torres | 23/03/2021 06:19
Marcelo decidiu levar natureza para dentro de apê com variedade de espécies (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcelo decidiu levar natureza para dentro de apê com variedade de espécies (Foto: Arquivo Pessoal)

O engenheiro eletricista Marcelo Augusto de Oliveira Higa, de 26 anos, mora em um apartamento alugado há quase dois anos, na Vila Glória, em Campo Grande. Quando chegou ao novo lar encontrou um apê vazio, clean, sem personalidade, onde também é complicado fazer mudanças drásticas em razão do aluguel.

Por conta disso, ele escolheu fazer mudanças simples e utilizar plantas como forma de decoração, além de deixar cada cantinho com a sua cara.

Marcelo também assume que teve receio de grandes mudanças, por isso o verde se tornou maior aliado. “Como tenho receio em mudar uma cor de parede, por exemplo, utilizo plantas, flâmulas e até mesmo alguns painéis DYI (do it yourself)”, explica se referindo a expressão que significa “faça você mesmo”.

Ao lado do mascote da casa, Marcelo tem casa alto astral com as plantas (Foto: Arquivo Pessoal)
Ao lado do mascote da casa, Marcelo tem casa alto astral com as plantas (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcelo tem mais de 100 espécies pelo apartamento de 65 m² (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcelo tem mais de 100 espécies pelo apartamento de 65 m² (Foto: Arquivo Pessoal)

Foi assim que criou página no Instagram para mostrar detalhes das plantas, obter informações sobre as espécies e compartilhar seus cuidados. “Assim posso ajudar quem precisa de ajuda com elas – lembrando que todo conhecimento que tenho foi de forma empírica, por tentativa e erro”, ressalta.

O apartamento tem aproximadamente 65 m², divididos em 1 cozinha, uma sala e sala de estar, 2 banheiros, 2 quartos e uma sacada.

Marcelo lembra que, quando se mudou, ganhou algumas plantas da mãe. “Aí foi só um gatilho para eu ter mais plantas. Eu coleciono plantas, entre as mais comuns e algumas mais raras, e como elas dão um toque especial em qualquer lugar, as utilizo como forma de decoração também”, explica.

O conceito urban jungle bastante difundido nos últimos anos sempre o atraiu. “E estudando um pouco sobre as plantas, consegui ter minha selva particular”, comemora.

Foi necessário estudar para conseguir manter as espécies (Foto: Arquivo Pessoal)
Foi necessário estudar para conseguir manter as espécies (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcelo segurando uma das queridinhas da decoração: a Costela de Adão (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcelo segurando uma das queridinhas da decoração: a Costela de Adão (Foto: Arquivo Pessoal)

Hoje ele tem mais de 100 plantas, entre vasos e mudinhas. Por isso, precisa administrar a rotina para manter os cuidados com cada uma. “Hoje eu prefiro ter plantas com um mesmo estilo de cuidado, assim posso conciliar meu tempo disponível para cuidá-las”.

Para Marcelo, esse esforço é algo prazeroso. “No fim de semana é muito bom por a mão na terra, fazer manutenção dos vasos, podas, regas e no dia-a-dia a manutenção, que é basicamente uma borrifada de água para aumentar a umidade e de vez em quando uma inspeção para verificar pragas”, destaca.

Outra coisa importante, alerta o engenheiro, é verificar a água acumulada nos pratinhos. “O que não faz bem para as plantas e pode ter proliferação do mosquito da dengue”.

Plantas estão espalhadas por todos os cantos (Foto: Arquivo Pessoal)
Plantas estão espalhadas por todos os cantos (Foto: Arquivo Pessoal)

Mas para garantir que a selva exista por um longo tempo dentro de um apartamento, é preciso mais do que encher a casa de plantas. “Sempre que penso em comprar uma planta ou pedir muda para os vizinhos pesquiso sobre. Com isso, ao invés de uma planta sobreviver, ela curte o ambiente e vive crescendo forte e saudável. Já perdi muita planta por falta de informação e já doei muita planta por não poder dar o que ela precisava”.

Hoje ele define o clima da casa como “alto astral”. “Gostoso muito de chegar a casa e ver a diversidade, a natureza e essa interação. As plantas deixam qualquer lugar mais feliz, bonito e vivo”, finaliza.

Quem quiser acompanhar as dicas de Marcelo, basta segui-lo no seu perfil do Instagram.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário