ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Arquitetura

Sem esgoto, Tia Eva torce para tombamento federal mudar cenário

Cansada, comunidade torce para que processo constitucional faça com que sua importância seja reconhecida

Por Aletheya Alves | 24/03/2024 07:13
Busto de Tia Eva na comunidade que leva seu nome. (Foto: Arquivo/Fundação de Cultura)
Busto de Tia Eva na comunidade que leva seu nome. (Foto: Arquivo/Fundação de Cultura)

Garantia constitucional, a comunidade quilombola Tia Eva vem dialogando com o Iphan/MS (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) para ser tombada em nível federal. Relatando que desde a falta de esgotamento sanitário até a longa espera por restaurações, as situações têm sido cada vez mais cansativas. Agora, os descendentes torcem para que o novo processo consiga mudar o cenário na realidade.

Fundada no início do século passado por Eva Maria de Jesus, a comunidade quilombola que leva o nome da matriarca em Campo Grande segue esperando até para que a centenária festa de São Benedito seja reconhecida como patrimônio cultural.

É nesse contexto que o Iphan/MS (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) tem dialogado com a comunidade para que desde o espaço geográfico até suas representações culturais ganhem proteção e visibilidade através do tombamento.

“Neste ano, a gente colocou dentro do planejamento do Iphan instruir no mínimo um processo de tombamento constitucional e nosso objeto de estudo e de aproximação é a Comunidade Tia Eva. Esse é um espaço difusor de outras comunidades quilombolas em Mato Grosso do Sul”, explica o superintendente do Iphan/MS, João Santos.

Igreja de São Benedito na Rua Eva Maria de Jesus. (Foto: Arquivo/Aletheya Alves)
Igreja de São Benedito na Rua Eva Maria de Jesus. (Foto: Arquivo/Aletheya Alves)

Para detalhar sobre o caso da comunidade Tia Eva e o que significa o tombamento constitucional, o superintendente do Iphan/MS (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) introduz relatando que esse processo é totalmente feito em conjunto às lideranças. Ou seja, o tombamento só existe caso a comunidade queira.

Atual presidente da comunidade, Ronaldo Jeferson da Silva garante que o interesse existe principalmente porque a espera por destinação de investimentos se torna cada vez mais cansativa.

“Há o interesse principalmente para trazermos benfeitorias para a comunidade porque são mais de 100 anos de história e não temos nem mesmo o esgoto ainda”, introduz o líder.

Comentando sobre a igreja, o esgoto e a festa de São Benedito, ele resume que há uma sensação de esquecimento constante. “A obra da igreja, por exemplo, é de extrema importância tanto para Campo Grande quanto para Mato Grosso do Sul. Ela é a igreja mais antiga de Campo Grande e está com risco iminente de queda do teto”.

Ainda não existir o sistema de esgotamento sanitário é um dos sinais que comprovam as reclamações da comunidade e pedidos de maior valorização. Ronaldo detalha que o espaço para escavação de fossas, por exemplo, se torna cada vez mais escasso e o resultado pode ser preocupante.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Nós precisamos mostrar todo o nosso contexto para o Poder Público e questionar se a Tia Eva será esquecida como fundadora de Campo Grande ou se vamos receber ajuda e investimento para resolver os problemas, completa Ronaldo.

A partir do início oficial do processo, desde o recorte geográfico até as manifestações culturais, tudo é ajustado com a comunidade. “Eles podem dizer que o que está tombado é somente as ruas, a igreja e o espaço de difusão. Podem falar que um perímetro será determinado ou que o futebol também está incluso”, diz o superintendente do Iphan/MS.

Hoje, a Tia Eva tem o tombamento municipal e estadual da Igreja de São Benedito, além da comunidade estar inserida no Plano Diretor da cidade como um espaço de memória.

Diferindo desses processos, o tombamento constitucional vem como novidade tanto por ser federal quanto pela forma com que é tratado.

“No dia 20 de novembro de 2023, foi publicada uma portaria que regulamenta o tombamento de remanescentes de quilombos. Os remanescentes e documentos históricos ligados a esses espaços, pela Constituição Federal, são automaticamente tombados, mas o Estado Brasileiro nunca regulamentou isso”, explica João.

É com a nova regulamentação do Iphan que o tombamento da comunidade está sendo discutido. Segundo o superintendente, o que existe de claro é que as características do tombamento diferem dos tradicionais específicos quanto à materialidade.

“Então, para além das referências materiais estão as práticas sociais, conhecimentos e manifestações tradicionais. Existem mulheres dentro da comunidade, por exemplo, que ainda fabricam doces que eram uma das especialidades da Tia Eva. Existe um conhecimento passado de geração em geração que é típico de comunidades quilombolas”, descreve o superintendente.

Nesse sentido, João pontua que o tombamento constitucional se diferencia por levar em consideração as dinâmicas sociais da comunidade.

Outro ponto é que além do tombamento da comunidade, a luta pelo registro da festa de São Benedito também deverá entrar em ação.

“Não é possível que uma festa centenária, uma das principais festas religiosas do Estado, uma das mais antigas presentes em território sul-mato-grossense não seja reconhecida como patrimônio cultural. Então, não é só o tombamento da igreja e da comunidade em nível federal, mas também esse registro que é extremamente importante”, completa Santos.

Questionada sobre a falta de esgotamento sanitário nas duas ruas da comunidade, a assessoria da Águas Guariroba informou que as obras estão previstas para ocorrer no primeiro semestre deste ano.

(*) Texto atualizado para atualização de informação sobre o cronograma de obras.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias