A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Outubro de 2018

23/09/2018 09:06

Banda "Fernando Morreu" é aviso de que sertanejo se foi para surgir um roqueiro

Depois de largar sete anos de sertanejo, vocalista migrou para o rock e nome artístico antigo virou banda.

Thailla Torres
Fernando Morreu é banda que se apresenta toda semana em bar no Centro da cidade. (Foto: Arquivo Pessoal)Fernando Morreu é banda que se apresenta toda semana em bar no Centro da cidade. (Foto: Arquivo Pessoal)

Parece brincadeira e tem gente que até dúvida, mas uma nova banda de rock tem chamado atenção pelo nome. "Fernando Morreu" é a identidade do quarteto de amigos que nas noites tocam clássicos do rock e as famosas de Johnny Cash. A justificativa tem muita história e mudança na vida de um vocalista que já tentou de tudo, principalmente, no sertanejo, até que decidiu abandonar a música raiz para acreditar no rock.

De Campo Grande, “Fernando Morreu” surgiu depois que o vocalista Liniker Fernandes Ribeiro, de 27 anos, decidiu matar o "Fernando" de sete anos de música sertaneja.

Ele integrava a dupla, João Paulo e Fernando, que começou em 2011 e também se destacou pelas gracinhas no palco, ao vestir o guarda-roupa da mãe para interpretar cantoras sertanejas famosas como Maiara e Maraisa, Simone e Simaria e Naiara Azevedo.

Músico durante sete anos cantando sertanejo, agora ele resolveu migrar para o rock.Músico durante sete anos cantando sertanejo, agora ele resolveu migrar para o rock.

Mas nenhuma tentativa de sucesso e até reconhecimento apagou a vontade que Liniker tinha pelo rock. Até que no Ano Novo de 2018, ele disse adeus definitivamente para o seu parceiro de dupla, de forma amigável, garante. “Eu pensei e me organizei durante uns cinco meses até desistir. Até porque tinham pessoas que trabalhavam com a gente, dependiam disso também”, diz.

Foi então “Fernando Morreu” fez todo sentido. “Apesar de todo feliz porque eu tinha saído do sertanejo, os amigos ainda ficavam me chamando de Fernando. Eu dizia que o Fernando tinha morrido, mas não adiantou”.

Meses depois, quando decidiu montar a banda, a brincadeira de que Fernando Morreu seria o nome ideal pegou Liniker de surpresa. ”Até pensamos em outros nomes, mas todo mundo curtiu a brincadeira”.

Mas o pontapé foi o cansaço. Anos de tentativa na música sertaneja o fez deixar muita coisa pelo caminho. “Perdi noivado, namorada, Bodas de Ouro dos meus avós, aniversários de família. Tudo porque a gente vivia na noite cantando”.

Ele não se arrepende, mas reconhece que chegou ao limite. “Fiquei sete anos sem estudar e não adquiri nenhuma profissão além da música. E quando você não quer mais, chega uma hora que fica mais difícil”.

Fernando se vestia de mulher nos palcos."Fernando" se vestia de mulher nos palcos.

Apesar da fama de Estado promissor para a música sertaneja, Liniker não acredita no discurso de sucesso. “Houve um tempo que tínhamos muitas boates sertanejas na cidade, mas elas foram fechando e até ano passado só conseguíamos tocar em uma casa na cidade, principalmente, com o aumento de tabacarias, que não remuneram o suficiente”.

Seu gosto pelo sertanejo também batia com o que é comercializado. “Eu gosto do modão, de João Mineiro e Marciano, Tião Carreiro e Pardinho, já o sertanejo universitário não me agrada muito”.

Sair não foi fácil, ele admite. “Sete anos parece pouco, mas foi uma escola pra mim”, afirma. “Porque em termos de profissionalismo, o sertanejo é muito mais organizado. Foi assim que tive a oportunidade de gravar um disco, fazer bons shows, trabalhar em equipe”, explica.

Mas o descanso diário, para ele, não tem preço. “Agora estou dormindo cedo todo sábado, estudando Química, quero trabalhar com indústria e acabei me interessando na área. Tem coisas que a música não paga”, afirma.

Liniker não se considera desiludido com a música, pelo contrário, acredita que a fase ruim é chance de mudanças. “Muita gente questiona porque largar tudo, mas eu não tenho medo de mudar e o sertanejo me ensinou isso. E toda organização que aprendi tocando por aí, quero trazer para o rock”, finaliza.

A banda se apresenta nos fins de semana na Barba Rock Bier Haus, que fica na José Antônio.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.