ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 32º

Artes

Cenário de MS é retratado em documentário sobre hip hop

Documentário tem como pano de fundo a história do coletivo NEST, sediado em Bento Gonçaves (RS), mas fala sobre artistas daqui

Por Lucas Mamédio | 01/08/2020 08:11
Cena do documentário "Nem Eu Sei Tudo" (Foto: Divulgação)
Cena do documentário "Nem Eu Sei Tudo" (Foto: Divulgação)

De antemão é preciso saber que nada do que falarmos aqui vai substituir o próprio documentário, que está no fim da matéria. Portanto se for direto até ele, já cumprimos nosso papel.

Mas caso queira saber um pouco mais sobre o processo de criação do documentário "Nem Eu Sei Tudo", que fala sobre a cultura hip hop no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso do Sul, será um prazer falar para você.

O documentário tem como pano de fundo a história do coletivo NEST (Nem Eu Sei Tudo) sediado em Bento Gonçalves interior Rio Grande do Sul e que tem como objetivo propagar e difundir a cultura hip hop.

MS Miliano, de Dourados, em cena de "Nem Eu Sei Tudo" (Foto: Divulgação)
MS Miliano, de Dourados, em cena de "Nem Eu Sei Tudo" (Foto: Divulgação)

"O nosso documentário se trata de produzir e inspirar dentro da cultura hip hop. De fazer as coisas acontecerem independente do local. O coletivo é sediado no interior do Rio Grande do Sul, em Bento Gonçalves, e e um cenário que talvez seja menos propenso para hip hop, no entanto temos um trabalho bem consistente", diz Pedrinho Festa, um dos produtores.

Além de Bento Gonçalves, é claro, o filme foi rodado em Dourados e Campo Grande, oportunidade em que acompanharam batalhas de rap e várias manifestações da cultura hip hop em Mato Grosso do Sul.

"Mato Grosso do Sul em si é um lugar que a gente frequenta há muito anos. Então era importante que fizesse parte do documentário. Até porque é uma cena que é muito irmã da nossa aqui no Rio Grande do Sul. A galera daí vem muito pra cá e também vamos muito pra Mato Grosso do Sul, então é um intercâmbio muito da hora. Sem falar que tem muita qualidade aí. ", afirma Pedrinho.

Em Campo Grande o documentário foi gravado na loja Iframe, do empresário Fabinho. Iframe é uma loja voltada para vestuários e acessórios ligados à cultura hip hop, e dessa forma deu vida ao sonho de independência financeira de Fabinho.

Fabinho também adaptou a loja para receber eventos de dança a apresentação de hip hop, e daí veio a participação no documentário. "Eu gastei um dinheiro que não tinha para reformar a calçada aqui da loja justamente pra receber o pessoal, porque acredito no movimento".

A ideia de registrar as ações do NEST se deu porque o coletivo comemorou 10 anos de criação em 2019. "Achamos que era uma oportunidade de mostrar pra outras pessoas, de eternizar nosso trampo, sabe. Até porque muita gente em lugares afastados do Brasil faz a mesma coisa que a gente e não têm a oportunidade de registrar e eternizar como nós", finaliza Pedrinho.

Assiste ao documentário Nem Eu Sei Tudo na íntegra:


Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Matéria alterada às 11h40 para acréscimo de informações. 

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário