ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 32º

Comportamento

"Tomei juízo... Tô namorando", conta Luan Santana

Por Paula Vitorino | 17/10/2012 12:29
Luan com a namorada em boate, em setembro. (Foto: Revista Quem)
Luan com a namorada em boate, em setembro. (Foto: Revista Quem)

O caçula da onda de sucesso sertanejo de Mato Grosso do Sul, Luan Santana, anunciou finalmente que está namorando. O cantor fez questão de contar primeiro, pelo menos oficialmente, aos fãs pela rede de relacionamento Twitter, com um comentário.

“Tomei juízo amors! Parei de safadagem kkkkk tô namorando!”, disse em postagem na noite de ontem.

O romance já tinha sido capa de revistas e sites, em setembro, mas Luan não assumia nas entrevistas. Aos 21 anos, Luan já tinha sido flagrado com “romances”, mas nunca apresentou oficialmente uma namorada depois da fama.

De acordo com entrevista para a revista “Quem”, a namorada é a estudante de moda Jade Magalhães, de 19 anos. Os dois se conheceram durante um show no fim do ano de 2009.

Na entrevista, o cantor confirma o namoro e diz que “agora é pra valer". Lembrando a época de Gurizinho, como era chamado no início da carreira, em Campo Grande, Luan conta que não fazia sucesso com as mulheres, mas que depois da fama antigos “tocos” o procuraram.

“Outro no meu lugar diria: ‘Não, agora não quero’. Mas eu peguei, só para elas largarem de ser besta”, afirmou.

Luan já alcançou 2 milhões de cópias vendidas de cinco CDs e dois DVDs e uma agenda disputada de 25 shows por mês. O próximo desafio é a 1ª turnê internacional, que já tem data marcada para novembro.

Ele fará shows pela Europa e Estados Unidos, mas na entrevista para “Quem” descartar emplacar uma carreira internacional por achar muito difícil fazer sucesso em países de outra língua com música em português, a exemplo do que aconteceu com Michel Teló.

“Acho que o primeiro passo para tentar uma carreira internacional é gravar em outra língua. A não ser o que aconteceu com o Michel Teló, mas isso é difícil, só vai acontecer de novo em 50 anos", explica.

Nos siga no Google Notícias