A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 17 de Setembro de 2019

20/08/2019 08:30

Com borracharia em cima da moto, Abadial salva o “rolê” em 5 minutos

Com câmaras novas e ferramentas adaptadas, serviços saem a partir de R$ 35; atendimento segue das 6h às 20h

Danielle Valentim
Abadial adaptou uma ferramenta para colocar o pneu sem danificar o aro ou furar a câmara. (Foto: Kísie Ainoã)Abadial adaptou uma ferramenta para colocar o pneu sem danificar o aro ou furar a câmara. (Foto: Kísie Ainoã)

Para fazer diferente quando assunto é pneu furado, o borracheiro Abadial Diniz, de 44 anos, decidiu criar uma borracharia 'delivery'. A ideia da "SOS Borracharia" surgiu quando ele buscava voltar ao mercado de trabalho, mas sem vontade de bater ponto no emprego.

A esposa vende suplementos em um stand da Avenida Afonso Pena e o panorama de que a borracharia móvel daria certo despontou com a quantidade de motoristas que chegavam a um posto de combustíveis próximo, com os pneus do carro furados.

Algumas pessoas podem se recordar de Abadial da época em que ele comandava um trailer de lanche prensado na Ceará, em 2003. Ele encerrou a lanchonete em 2005, após perder o ponto. “Eu impulsionei a Ceará na época. Cheguei a vender 9 mil pães por mês, mas por ironia perdi o ponto”, lembra.

Por causa da ausência de tipo de assistência ele decidiu colocar a mão na massa, já que era um sonho ser dono do próprio negócio. “Há dois meses eu estava ajudando minha esposa e enquanto estava parado via um carro atrás do outro chegar precisando de ajuda. Comecei a pesquisar e descobri que não tinha nenhum perto. Como já tive oficina de caminhão, vi que se eu já tinha desmontado pneu de caminhão também desmontaria o pneu de uma moto”, explica.

Trabalho de Abadial é resolver o problema urgente.(Foto: Kisie Ainoã)Trabalho de Abadial é resolver o problema urgente.(Foto: Kisie Ainoã)

A esposa chegou a questionar a decisão, mas Abadial garantiu que estava disposto a encarar um intensivão, se fosse preciso. A partir de, então, começou a adaptar a motocicleta, que antes de tudo recebeu um carrinho lateral para carregar os equipamentos. O carrinho leva ferramentas, cone para sinalizar a via e um compressor de ar.

Segundo Abadial ainda falta um gerador de energia, mas enquanto não tem enche o compressor antes de sair para atender. A desmontadora de pneus foi adaptada para pneus de motos e de carros.

“Fiz duas em uma, a parte de cima é para moto, eu tiro a peça de cima e vira uma peça para desmontar pneu de carro. Também adaptei uma ferramenta para colocar o pneu sem danificar o aro ou furar a câmara. Donos de roda de alumínio sempre ficam olhando preocupados, mas não entorta”, conta.

Os serviços acabam de completar um mês e após divulgação no Facebook, Instagram e em postes da cidade, o celular do borracheiro não para. “Eu precisava fazer o diferente e me perguntei: e se eu ir até esse cliente? Porque uma roda de alumínio, por exemplo, é muito caro e às vezes, o pneu fura e a pessoa não pode andar senão destrói o pneu, a câmara e a roda também. É um serviço de utilidade, é um delivery de mão de obra”, pontua.

O trabalho de Abadial é resolver o problema urgente. Em casos mais complexos, se o cliente preferir, ele leva o pneu para um serviço mais especializado. “Se eu for ao local e não conseguir resolver, eu tiro e levo. Eu vou dar um jeito e não vou deixar a pessoa sozinha. Não é aquela coisa de tirar e levar para arrumar. Eu costumo resolver o problema na hora, um serviço para motocicleta gasto cerca de 15 minutos, já para carros, nem tiro do lugar e resolvo de 5 a 10 minutos”, explica.

O borracheiro atende em toda Campo Grande, mas prioriza a região central, norte e altos da Afonso Pena. “Às vezes atendo do outro lado da cidade, é a lei da necessidade e oferta. Se a pessoa estiver precisando eu vou e cobro o proporcional. Aqui perto cobro a partir de R$ 25, mas depende do serviço. Um pneu furado com prego, um pneu sem câmara é de R$ 25 a R$ 35”, explica.

O próximo passo de Abadial é o socorro elétrico. “Quero instalar uma bateria. As vezes o carro não quer dar partida, o pessoal cobra R$ 100 para ir te salvar eu vou cobrar metade para resolver seu problema”, finaliza.

Abadial recebe chamados pelas redes sociais e pelo WhatsApp (67) 99676-3688.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

Abadial atende em toda a cidade. (Foto: Kísie Ainoã)Abadial atende em toda a cidade. (Foto: Kísie Ainoã)
imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.