A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

02/01/2018 08:46

Depois de 35 anos juntos, casal volta ao mesmo motel onde ocorreu o 1º encontro

Histórias de amor como de Ana e Carlos comprovam que quando é pra ser, não tem essa de primeiro encontro ideal

Thaís Pimenta
Ana e Carlos. (Foto: Acervo Pessoal)Ana e Carlos. (Foto: Acervo Pessoal)

A união de quase 35 anos do representante comercial Carlos Alberto Sotero, 54 anos, e da advogada Ana Emilia Iponema Brasil Sotero, de 61, começou com muita paquera no dia 23 de julho de 1983 e já no primeiro encontro os dois foram parar no motel. No fim do ano, eles voltaram ao mesmo lugar onde essa relação teve início e ganharam até presente do porteiro.

Os dois já se gostavam e rolava uma troca de flertes na empresa em que trabalhavam. Um certo dia, ele a convidou para sair à noite. Quando se encontraram, rolou o famoso questionamento: "E aí vamos onde?". Ela respondeu com uma famoso "cê que sabe". E a interpretação clichê, mas corajosa de Carlos mudou a vida dos dois. 

Ana brinca relembrando o causo. "A intenção quando eu disse 'seqsabe' era falar pra ele escolher onde nós iríamos. Fiquei surpresa com a reação dele, éramos jovens e tudo era festa e aventura", comenta ela, que acabou no motel Seqsabe, aqui em Campo Grande.

De lá pra cá, o relacionamento continua provando que não tem essa de primeiro encontro ideal. Que qualquer convenção nesse sentido, é balela. Desse amor tão genuíno, plantado diariamente com muita compreensão, nasceram dois frutos, que hoje já estão maduros. "Temos duas lindas filhas, Christiane com 32 anos, turismóloga e pós graduada em publicidade e Nathália com 31 anos, design de moda, especialista em alta costura, pedagoga e pós graduada em didática de ensino superior. E Anna Rafaela, que é a neta mais linda do mundo nos seus dois anos de idade".

A família reunida. (Foto: Acervo Pessoal)A família reunida. (Foto: Acervo Pessoal)

Carlinhos é campo-grandense e Ana é gaúcha de Porto Alegre."Meu pai era oficial do Exército e em 1972 viemos para Bela Vista, MT uno e em 1973 para Campo Grande. Nos conhecemos em 1980", revive. Em 1983 o namoro começou de fato e as filhas nasceram em Campo Grande em 1985 e 1986. Saíram da Capital sul-mato-grossense para a capital mato-grossense Cuiabá em 1994.

Segundo Ana, todos os anos, no Natal, Carlinhos vem passar com a família dele. Em 2017 ela veio junto lhe acompanhando.

Como Carlos não é bobo nem nada, decidiu fazer uma surpresa no dia 27. A convidou para ir a novena. Até aí tudo bem. A segunda parada surpreendeu Ana. "Depois da igreja, ele me levou pra namorar no motel onde tudo começou, depois de 34 anos e 5 meses".

A lembrança do primeiro encontro. (Foto: Acervo Pessoal)A lembrança do primeiro encontro. (Foto: Acervo Pessoal)

Para lembrarem pra sempre da história, receberam de presente do porteiro do local um cinzeiro. "Eu pedi e o porteiro disse que tinha de plástico e na hora que passamos na portaria nos disse que não tinha mais. Aí nos presenteou com este e contamos a ele que nossa história tinha começado ali", conta.

Para Ana, Carlinhos é o maior incentivador de sua carreira profissional e por essas e outras, os dois pretendem continuar juntos por mais 35 anos. "Hoje, diferente daquela época, o sexo está acompanhado do amor, carinho e cumplicidade adquirida com o tempo. O relacionamento continua tão bom quanto antes, com doses de experiência e maturidade", finaliza.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

 



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.