A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Maio de 2019

04/02/2019 09:12

Fofura do Instagram, Nicolly conquistou 35,4 mil seguidores com beleza diferente

Aos 2 anos e 8 meses, Nicolly já coleciona 4 títulos em concursos de beleza, entre eles o "Miss Brasil Baby Universe Fashion 2018".

Kimberly Teodoro
Apesar da agenda de modelo, por trás das lentes a menina é como qualquer outra criança (Foto: Henrique Kawaminami)Apesar da agenda de modelo, por trás das lentes a menina é como qualquer outra criança (Foto: Henrique Kawaminami)

Nem um pouco convencional e cheia de personalidade, a pequena Nicolly Martins Moreli, de 2 anos e 8 meses, coleciona 35,4 mil seguidores no Instagram com looks quase de gente grande e poses inspiradas no mundo fashion. Clicadas pela mãe, Marina Martins Pinto Moreli, de 39 anos, em cada foto, a delicadeza da menina ensina um pouquinho sobre como ser diferente é inspirador.

Como sugere o nome de usuário da conta no aplicativo, @nickmissbaby.t21, a modelo tem síndrome de down, ou Trissomia do cromossomo 21 (t21). Nicolly é desinibida ao posar para a lente do celular da mãe, mas por trás é uma criança como qualquer outra.

Quando a equipe do Lado B chegou a casa em que ela vive com os pais, fomos recebidos por olhares desconfiados, lançados da proteção dos braços do pai, com um jeitinho tímido e inocente que só criança tem. Mas bastou a presença da mãe e dos brinquedos favoritos, uma boneca bêbe e toda a aparelhagem de uma cozinheira profissional feita em plástico, para que as risadas ganhassem a cena, com direito até a beijinho e tchau de miss para a câmera do fotógrafo.

Diversão mesmo, ela encontra  no balanço instalado na varanda (Foto: Henrique Kawaminami)Diversão mesmo, ela encontra no balanço instalado na varanda (Foto: Henrique Kawaminami)
As bonecas estão entre os brinquedos preferidos de Nicolly (Foto: Henrique Kawaminami)
As bonecas estão entre os brinquedos preferidos de Nicolly (Foto: Henrique Kawaminami)

Pega de surpresa, Marina conta que não ficou sabendo das características genéticas de Nicolly durante a gravidez, que apesar do sobrepeso e da restrição alimentar, foi tranquila, e todos os exames feitos ao longo dos 9 meses, nunca indicaram nada.

“Depois que ela nasceu, precisou passar 22 dias internada, por conta da hipoglicemia. Aí me falaram que ela era cardiopata, o que depois foi refutado. Depois, que tinha problema no pulmão e depois eu fiquei sabendo que ela pegou uma infecção hospitalar. Teve até que fazer transfusão de sangue, e pela transfusão, esperamos para fazer o cariótipo, exame que comprovaria a síndrome de down ou não. Enquanto isso, vários profissionais avaliavam e diziam que ela não tinha características de down, que respondia a estímulos que quem tem a síndrome não responde, foram 4 meses de muita angústia”, relembra.

A preocupação com a relação que Nicolly teria com o mundo fez com que Marina e o marido, Eduardo Moreli Júnior, de 39 anos, procurassem  mais informações, que hoje ela tenta repassar para o máximo de pessoas possíveis pela conta da pequena no Instagram. “A ideia é mostrar que os nossos filhos podem participar de toda e qualquer competição por igual, que a beleza deles também pode ser reconhecida no meio da moda, porque o ser diferente é normal. A Nicolly, através da beleza dela fez com que eu percebesse e tentasse mostrar que a inclusão social pode ser trabalhada no meio da moda”, explica Marina.

Eduardo e Marina reaprendem com todos os dias o que é o amor (Foto: Henrique Kawaminami)Eduardo e Marina reaprendem com todos os dias o que é o amor (Foto: Henrique Kawaminami)

O começo de tudo foi a própria conta nas redes sociais, onde Marina colocava fotos durante a gravidez, para que a família e os amigos acompanharem. Depois do nascimento de Nicolly, as postagem acabaram diminuindo por um tempo, quando o foco da família era a saúde do bebê.

O primeiro ensaio fotográfico, foi o famoso “newborn”, onde a fofura de Nicolly conquistou de vez o coração da mãe coruja, que resolveu voltar a compartilhar conteúdo.

“Foi aí que comecei a sempre emperequetar e fazer novas fotos com uma carinha melhor que a outra, cheia de lacinhos e roupas fofas, foi aí que comecei a trabalhar com o instagram, que todo mundo começou a falar para eu procurar uma agência de modelos, por causa da beleza única dela, percebi que não era apenas o meu olhar de mãe. Ela é uma criança maravilhosa e agradeço a deus todos os dias por ter colocado ela nas nossas vidas”, diz.

Aos 2 anos, Nicolly já coleciona 4 faixas em concursos de beleza (Foto: Acervo Pessoal)Aos 2 anos, Nicolly já coleciona 4 faixas em concursos de beleza (Foto: Acervo Pessoal)

Além de modelo, Nicolly já coleciona 4 faixas de concursos de beleza: A primeira delas é título de “Embaixadora Beleza Down MS”, a segunda é do “Miss Campo Grande”, em que ela levou a coroação de “Miss Baby Popularidade”, eleita por um link seguro de votação online em que obteve 9 mil votos.

A terceira é a de “Miss Beleza Fashion” aqui de Mato Grosso do Sul e a quarta merece até lugar de destaque na coleção, com a faixa de “Miss Brasil Baby Universe Fashion 2018”, entregue em outubro do ano passado.

Mesmo com a “agenda profissional” cheia, entre desfiles de roupa infantil com lojas parceiras, ensaios fotográficos e a preparação para concursos, Marina afirma que a prioridade é que a filha continue sendo criança, por isso o quarto cheio de bonecas, casinhas e brinquedos próprios para a idade, “Muitos pais focam colocar a criança com down na terapia, fazer terapia, fazer estimulação, mas acho que o dia-a-dia, o brincar também é uma estimulação importante. Eu não superproteger e deixo ela mostrar pra gente do que ela é capaz”, conta.

Com 9 mil votos online, Nicolly foi eleita Miss Baby Popularidade (Foto: Acervo Pessoal)Com 9 mil votos online, Nicolly foi eleita Miss Baby Popularidade (Foto: Acervo Pessoal)
Título mais recente é o de Miss Brasil Baby Universe Fashion 2018 (Foto: Acervo Pessoal) Título mais recente é o de Miss Brasil Baby Universe Fashion 2018 (Foto: Acervo Pessoal)

Nicolly gosta de atividades com obstáculos, inclusive frequenta uma academia especializada no desenvolvimento infantil duas vezes por semana, lá ela trabalha parte sistema motor e o equilíbrio. Com orgulho a mãe conta que a cada dia, ela busca novos desafios e aprende coisas novas. As atividades didáticas ficam por conta da escolinha, que ela frequenta 3 vezes por semana, onde as atividades são voltadas para a musicalização, teatro e tecnologia, tudo para preparar Nicolly para a escola pedagógica, onde os pais pretendem colocá-la aos 5 anos para a alfabetização.

“Nenhum lugar que a Nicolly frequenta é para crianças especiais, são todos lugares inclusivos, todas as atividades dela são trabalhadas com crianças típicas. É de suma importância por conta da aceitação, eles precisam entender que as diferenças estão em todos os lugares e devem ser respeitadas, não só as crianças, qualquer pessoa. A gente iniciar a inclusão social desde cedo é muito importante com a aceitação. Existe um momento certo para ela ver e começar a entender que ela é diferente, entender essa diferença, porque não vou falar que lá na frente em nenhum momento ela pode sofrer algum preconceito, porque ela tem que lidar saber lidar com isso”.

Acompanhe Nicolly no instagram para ver as novidades clicando aqui.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.