ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Comportamento

Fotos lembram amor da internet que venceu distância e plantões

#TBT de Elisângela e Alberto é de um dos momentos marcantes do casamento, que hoje ajuda a matar a saudade

Por Thailla Torres | 24/09/2020 06:37
Fotografia é uma das maneiras de Elisângela e Alberto matarem a saudade. (Foto: Vicente Barros)
Fotografia é uma das maneiras de Elisângela e Alberto matarem a saudade. (Foto: Vicente Barros)

O ensaio é de 2018, com um casal que mais uma vez protagoniza aquele tipo de história de amor que parece improvável que até agora deu certo. Elisângela e Alberto se conheceram primeiro na internet e percorreram um longo caminho longe um do outro por causa do trabalho. Hoje as fotos fazem parte do #TBT da esposa, que narra o quanto um sentimento bom é capaz de vencer qualquer barreira.

Nas fotos os dois aparecem uniformizados, uma homenagem a profissão que amam e compartilham. Elisângela Manieri, 37 anos, e Alberto Grangeiro da Costa Junior, 41, são peritos criminais da Polícia Civil.

E o ensaio foi feito há dois anos, exatamente em setembro, mês do casamento deles e da Polícia Civil, coincidência que fez Elisângela revirar a caixa de recordações e lembrar da história de amor que começou quando ela menos imaginava.

“Ele é da turma de 2009, eu entrei em 2014. Um colega da minha turma foi trabalhar no mesmo setor e contou a ele sobre mim, e ele quis me conhecer. Fui lotada em Ponta Porã no final de 2014 e em janeiro começamos a conversar pela internet”, lembra Elisângela.

No Carnaval daquele ano ele falou que iria para Ponta Porã visitá-la. “Nem acreditei, achei que era papo. Mas ele foi e me pediu em namoro”.

Ensaio foi feito há dois anos, antes do casamento. (Foto: Vicente Barros)
Ensaio foi feito há dois anos, antes do casamento. (Foto: Vicente Barros)

Foram mais de dois anos de distância intensa e uma saudade amenizada pelo telefone, mensagens de texto e chamadas de vídeo nas redes sociais. “O fato de termos a mesma profissão nos aproximou ainda mais, pois conversamos e estudamos as mesmas coisas”.

Ainda hoje a distância existe. Ela trabalha em Campo Grande no Instituto de Análises Laboratoriais Forenses, na Divisão de Química e Toxicologia, basicamente com análise de drogas, venenos e medicamentos, por exemplo, e ele está plantão em Aquidauana. Mas após anos juntos, Elisângela é enfática em dizer que essa distância atrapalha pouco. “Nos finais de semana, às vezes, vou pra lá e, às vezes, ele vem nas folgas, mas somos apaixonados por nossa profissão e isso nos uniu ainda mais. Não tem distância e nem plantões que diminui esse amor."

Olhar as fotos, especialmente na pandemia, leva Elisângela a momentos de reflexão. "Principalmente sobre como a vida é passageira e frágil,  por isso, deve ser vivida em sua plenitude, encontrando significância nos mínimos detalhes, demonstrando amor aos próximos mesmo na distância", finaliza.

Que foto te dá saudade? Mande para a gente a sua #tbt no Facebook ou Instagram do Lado B, também no e-mail ladob@news.com.br.

Nos siga no Google Notícias