A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

25/04/2018 07:25

História na confeitaria começou com R$ 30 e agora disputa prêmio do Cake Boss

Ineu é um dos participantes da segunda temporada do reality Batalha dos Confeiteiros, apresentado por Buddy Valastro

Thaís Pimenta
Andre e Ineu jamais imaginariam onde poderiam chegar há 16 anos. (Foto: Acervo Pessoal)Andre e Ineu jamais imaginariam onde poderiam chegar há 16 anos. (Foto: Acervo Pessoal)

Os confeiteiros Andrea Diniz Carvalhal e Ineu Oliveira jamais poderiam imaginar que em 2018 o chef da família estaria participando de um reality show na TV nacional,  "Batalha dos Confeiteiros Brasil”, apresentado pelo Cake Boss Buddy Valastro. Em pouco tempo, ele já é reconhecido pelas ruas do Brasil, e um dos preferidos na votação popular entre competidores da nova edição do programa.

Ineu era despachante em 2002, Andrea estava desempregada, e a família, junto aos dois filhos, enfrentava dificuldade até mesmo para comprar comida. Foi com R$ 30,00, ganhos por um trabalho de Ineu, que Andrea comprou os ingredientes para fazer o primeiro bolo que começaria a mudar essa história.

Simples, de chocolate com granulado, a delícia foi vendida na feira de rua no Bairro Lar do Trabalhador, e mesmo feito de maneira tão simples, a mãe chegou com o dobro de dinheiro em casa, R$ 60,00. "Esse dinheiro serviu para comprar mais ingredientes e continuei fazendo e sempre observando o que as pessoas mais me pediam para levar a elas", conta.

Andrea tinha um pouco de noção desse mundo particular, porque seu pai era padeiro e confeiteiro, e ela quando crianças tirava horas para observa-lo. "Nisso eu comecei vendendo os dois bolos até que chegou um dia que eu deixei na feira 22 bolos, para os clientes. E começou a ficar difícil lidar com tanta coisa, a criação dos meus dois filhos e os bolos. O Ineu passava muito tempo fora de casa trabalhando também".

 

Hoje os filhos tem 19 anos e ele 16. (foto: Acervo Pessoal)Hoje os filhos tem 19 anos e ele 16. (foto: Acervo Pessoal)

E aí foi quando uma cliente de Andrea encomendou um bolo de aniversário, mas pediu algo bem diferente para a época: que a confeiteira fizesse o desenho do símbolo do Palmeiras. "Eu disse a ela que tentaria dar um jeito e foi nesse que o Ineu entrou na história".

O maridão sempre foi bom de desenho e, mesmo sendo um fanático flamenguista, topou ajudar Andrea com o pedido e o bolo acabou ganhando elogios. Juntos, encontraram na decoração um diferencial à época e por volta de 2006, Ineu e Andrea enxergam na confeitaria a profissão inesperada, com a única intenção de conseguir comprar comida para servir à mesa dos filhos. "Nossos filhos tinham um aninho e três, um casal, Henrique e Beatriz, e nosso sonho era nunca mais passar pelo aperto de 2002, sem dinheiro para comprar leite para eles".

Ineu largou o escritório e começou a estudar com a esposa, nas revistas de gastronomia, única fonte de informação sobre o assunto em Campo Grande. "Não tinham esses cursos que hoje vemos no Estado e nem dinheiro para viajar para estudar. Isso refletiu nas nossas receitas, todas autorais, porque nossa base na confeitaria foi construída nessa época", explica Andrea.

Ela ficou com a parte das receitas, de criação dos bolos e doces, e Ineu com a parte de decoração. Por já se destacarem no ramo e, por que não, por uma ajudinha do destino, o casal foi, com patrocínio do Diretor dos Correios, participar do primeiro curso fora daqui, em São Paulo. "Ele soube da nossa história por meio de um primo nosso que era carteiro". O moço trocou suas milhas e lhes deu a passagem.

Ineu é o último participante, à direita de todos os colegas, na foto. (Foto: Edu Moraes/Record TV)Ineu é o último participante, à direita de todos os colegas, na foto. (Foto: Edu Moraes/Record TV)

Na viagem, eles representaram Mato Grosso do Sul pela primeira vez e a partir daí os confeiteiros viram as coisas crescerem. "Quando fomos para Buenos Aires fazer um curso no Instituto Mausi Sebess, nós nos olhamos e dissemos emocionados um pro outro que o mundo era pequeno pra gente. Nesse exato momento, caiu a ficha e só aí passamos a sonhar com novas alçadas", diz Andrea, sem esconder o orgulho.

Ineu e Andrea se especializaram na Suíça, na França, na Itália e foram trabalhando com a meta de ir fazer cursos fora do Brasil a cada dois anos. Por ser Ineu o especialista na confeitaria, na parte artistica do negócio, foi ele quem representou a mulher no reality Cake Boss - Batalha de Confeiteiros. "Há dois anos ele passou por todas as seletivas, pelas entrevistas do programa e dentre 4 mil inscritos, ele foi um dos 16 selecionados", comenta a mulher, apaixonada.

Com uma enquete rolando no site Rede Notícia sobre o participante preferido para levar o primeiro lugar, Ineu sai disparado à frente, com mais de 35% dos votos. "Estamos em Salvador participando de uma congresso e aqui a repercussão do programa está uma loucura. Ele até se emocionou porque a vida toda erraram o nome dele, chamaram de Irineu, Ileneu, mas nunca pelo nome certo. As pessoas o abordam nas ruas por aqui e o chamam pelo seu nome, certinho, então está sendo um momento surreal pra gente".

Sem se esquecerem da raíz, o casal acredita que o diferencial de seus trabalhos é a vontade de querer sempre dar o melhor para o cliente. "Além do amor e carinho com o que fazemos cada peça, nunca deixamos de correr atrás de coisas novas. Temos a consciência de que mesmo estando muito além do que nossos sonhos nos levavam, sempre temos muito a aprender e a lutar".

Os filhos, grandes causadores de tudo isso, admiram os pais acima de tudo. "Somos humildes, nossos pais sempre trabalharam. Tudo que a gente conquistou foi com muito trabalho, noites sem dormir, dedicação e a gente tem que lembrar sempre disso e agradecer porque tem muita coisa boa a vir por aí", finalizam o casal.

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.