ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 27º

Comportamento

Preocupado com esposa e bebê, motorista pede calma em aviso carinhoso

Helena não só chegou em casa com segurança como os pais viram solidariedade dos outros condutores no trajeto

Por Paula Maciulevicius Brasil | 29/02/2020 08:07
Aviso foi feito e colocado pelo pai para avisar aos motoristas que ali um carro andaria devagar. (Foto: Kísie Ainoã)
Aviso foi feito e colocado pelo pai para avisar aos motoristas que ali um carro andaria devagar. (Foto: Kísie Ainoã)

"Tenha calma, minha mulher fez cesárea". Foi fazendo este pedido que Marcos e Lucilene deixaram a maternidade Cândido Mariano, nessa sexta-feira (28), rumo ao bairro Santo Antônio, em Campo Grande. Pais de segunda viagem, depois de viverem uma experiência não tão agradável devido ao asfalto das ruas da cidade 1 ano e 9 meses atrás, no nascimento de Júlia, eles decidiram que desta vez, a chegada de Helena em casa seria bem diferente.

O aviso grudado na traseira do veículo "desenha" para que todo mundo veja que ali está uma criança recém-nascida e, mais, uma mulher recém-parida. "É minha segunda cesárea, e eu sofri muito com o trajeto do hospital para casa no dia que tive alta devido aos buracos da rua. Então, meu marido ficou buscando uma maneira para que eu sofresse menos", explica a mãe, auxiliar administrativo, Lucilene Coronel Cândido, de 40 anos.

Um dia, olhando as redes sociais, Marcos encontrou a sugestão e logo decidiu que aquela seria a forma de pedir calma às pessoas no trânsito. "Fizemos ao nosso modo e, parece que deu certo. Sofri bem menos", diz ela. 

Mãe e filha no veículo, Lucilene e Helena. (Foto: Kísie Ainoã)
Mãe e filha no veículo, Lucilene e Helena. (Foto: Kísie Ainoã)
Ideia foi vista nas redes sociais por Marcos. (Foto: Kísie Ainoã)
Ideia foi vista nas redes sociais por Marcos. (Foto: Kísie Ainoã)
Foram 18 minutos da maternidade até em casa. (Foto: Kísie Ainoã)
Foram 18 minutos da maternidade até em casa. (Foto: Kísie Ainoã)

O percurso durou 18 minutos indo pela Afonso Pena e Duque de Caxias. O trajeto foi escolhido premeditadamente por serem vias de trânsito rápido e estão com asfalto melhor. "Eu percebi que as pessoas se sensibilizaram mais. Da forma que o mundo está vivendo hoje, com pouca tolerância, pouca compaixão pelo próximo", reflete o pai, servidor público, Marcos dos Santos Cândido, de 40 anos.

Em determinado momento do caminho, uma fila de carros se formou atrás da família e em nenhum momento alguém buzinou ou tentou apressar. "Achei isso muito bacana da parte dos motoristas, essa era a minha ideia. Da outra vez minha esposa machucou bastante e eu me senti culpado por aquilo, queria fazer alguma coisa", explica.

Além do recado, eles também ocuparam a faixa do meio, no intuito de que os condutores de todas as filas pudessem enxergar. "Tem uma mãe que acabou de passar por uma cirurgia, o corte é grande, não é simples", descreve Marcos.

Desde a saída da maternidade até a chegada de casa, a empatia imperou no trânsito para receber Helena. Muita gente filmou e fotografou, assim chegou a foto da placa até o Lado B. "Baixavam o vidro e falavam parabéns. Na maternidade um pai falou que ia fazer isso também. Quero que seja um gesto que se multiplique e venha trazer mais harmonia. Fiquei muito feliz, porque minha filha já chegou trazendo algo positivo assim".

Júlia e Helena tem 1 ano e 9 meses de diferença e uma vida inteira de cumplicidade pela frente.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo).

A família completa, incluindo a irmã mais velha, Júlia. (Foto: Kísie Ainoã)
A família completa, incluindo a irmã mais velha, Júlia. (Foto: Kísie Ainoã)