ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 22º

Comportamento

Preto Velho seria ‘demônio’ se fosse branco ou intolerância teria fim?

Dia Municipal do Preto Velho, contra intolerância religiosa, foi aprovada na Câmara e aguarda ser sancionada

Por Aletheya Alves | 14/05/2024 06:44
Registro feito durante revitalização da praça em 2021. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)
Registro feito durante revitalização da praça em 2021. (Foto: Arquivo/Marcos Maluf)

“Se o Preto Velho fosse um Branco Velho, nós já teríamos sido aceitos há muito tempo”. Essa é a provocação do guardião da praça que leva o nome da figura ancestral em Campo Grande, José Luiz Mendes de Castilho. Aprovado pela Câmara Municipal na semana passada, o Dia Municipal do Preto Velho (13 de maio) aguarda ser sancionado e, para quem sofre com intolerância religiosa diariamente, a data é mais uma chance de falar sobre a luta histórica.

Integrante do Fórum Municipal da Cultura Afro e vice-presidente do Instituto Cultural da Umbanda Sagrada Vó Ana e Pai Manoel, José explica que ouvir que o Preto Velho é o “demônio” é algo comum, assim como replicar isso a quem segue religiões em geral de matriz africana.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

É implantado na mente das pessoas que somos demônios, que somente a religião da qual essas pessoas pertencem é a que vai de encontro com o Pai e todos nós sabemos que não é desta forma que as coisas acontecem, descreve o guardião da praça, que já até recebeu moção pelos seus serviços no local.

Não saber que o Preto Velho ou os Pretos Velhos são espíritos que se apresentam como africanos que viveram nas senzalas e sofreram como escravos é parte do desconhecimento generalizado com religiões de matriz africana. Para José, é essa falta de saber o que costuma dar base aos ataques.

E é justamente pelos Pretos Velhos se ligarem à escravidão que seu dia é celebrado em 13 de maio, a data da abolição da escravatura. “Inserirmos essa data no calendário municipal nos fortalece muito no sentido de respeito porque temos que preservar a memória daqueles que sofreram e ainda sofrem com o racismo”.

Em comentário nas redes sociais, o pedido por um "Branco Velho" aparece. (Foto: Reprodução/Facebook)
Em comentário nas redes sociais, o pedido por um "Branco Velho" aparece. (Foto: Reprodução/Facebook)

O integrante do Fórum de Cultura Afro também defende que aceitar todos os tipos de pessoas é algo que acaba sendo mal visto por integrantes de outras religiões.

“Nós não discriminamos ninguém, aceitamos a pessoa como ela é. Se procurar fazer o bem e auxiliar o próximo faz nós sermos religiões do demônio, então é complicado. O difícil é colocar na cabeça das pessoas que elas precisam conhecer um pouco das religiões e, aí sim, talvez comecem a ter outras visões”, diz José.

Festa com louvor a exu e pombagira foi ação em novembro de 2023. (Foto: Arquivo/Juliano Almeida)
Festa com louvor a exu e pombagira foi ação em novembro de 2023. (Foto: Arquivo/Juliano Almeida)

Enquanto isso não acontece, até pedidos para a retirada da estátua do Preto Velho aparecem, segundo o umbandista. Além da data, há também uma movimentação para solicitar o tombamento do local.

Especificamente sobre a praça, ele relata que é o único local em que as religiões de matriz africana e ameríndias conseguem se manifestar publicamente. “É por isso que ela precisa estar preservada e sempre pronta para receber as pessoas”.

Agora, enquanto a data municipal ainda não foi sancionada, a celebração será no dia 19 de maio, a partir das 13h, na Praça do Preto Velho.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias