ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º

Comportamento

Sem dinheiro, família luta para recuperar cão pego pela "carrocinha"

"Confusão" fez cachorro shitzu parar no CCZ da Capital; agora, luta é arrumar o dinheiro para libertá-lo

Por Raul Delvizio | 16/04/2021 13:38
Cãozinho Ozzy foi parar na "carrocinha" no último dia 7 de abril e corre o risco de ser estanasiado (Foto: Arquivo Pessoal)
Cãozinho Ozzy foi parar na "carrocinha" no último dia 7 de abril e corre o risco de ser estanasiado (Foto: Arquivo Pessoal)

Era para ser um dia como outro qualquer. A corumbaense Carol Candia, camareira de 35 anos, havia chego em casa à noite no Ribeira Parque, em Campo Grande, onde mora com seus dois filhos e o esposo. Ao invés de ser recebida com os afagos do cãozinho Ozzy – o shitzu "xodó" da família – depois de um longo dia de trabalho, acabou que recebeu a notícia inesperada que o seu cachorro foi pego pela "carrocinha".

Isso foi no início do mês de abril, no dia 7. A situação deixou Carol incrédula, recorda. "Fui perguntar o que realmente havia acontecido para algumas pessoas de minha confiança aqui no bairro, afinal, todo mundo conhece o Ozzy. Me disseram que ele havia fugido de casa – o que meus filhos também falaram – e que havia mordido uma criança, filho de uma outra vizinha daqui", relata.

Carol e o casal de filhos de 7 e 10 anos em passeio de barco no Rio Paraguai (Foto: Arquivo Pessoal)
Carol e o casal de filhos de 7 e 10 anos em passeio de barco no Rio Paraguai (Foto: Arquivo Pessoal)

"A confusão caiu no meu colo porque parece que essa mulher acionou o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Campo Grande que levou meu Ozzy de 'carrocinha'. Nem fui tirar satisfação, porque o que eu estava mais preocupada era com o meu filho de quatro patas", conta.

A matriarca ligou para lá e seinformou de tudo. "Me disseram que para eu levar o Ozzy de volta para a casa eu sou obrigada a pagar uma multa no valor de R$ 337,00, dinheiro que eu não tenho disponível. Ou eu faço isso ou então meu cão vai parar no sistema de adoção. Ou pior… para a eutanásia", ouviu a camareira pelo telefone.

Para evitar que isso aconteça, Carol tem um prazo bastante apertado: só pode retirar Ozzy até amanhã, sábado, dia 17 de abril. Como forma de fazer isso, ela lançou uma publicação no Facebook em um grupo de animais perdidos e achados de Campo Grande, justamente contando toda essa história para que pessoas a ajudem a recuperar o seu "xodó".

Ozzy virou o xodó da família desde que foi ganho por Carol de uma tia, isso há 3 anos (Foto: Arquivo Pessoal)
Ozzy virou o xodó da família desde que foi ganho por Carol de uma tia, isso há 3 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

Antes disso, Carol até chegou a fazer uma vaquinha virtual onde só conseguiu parte do montante que precisa – cerca de um terço do total. Por conta das normas do site, só poderá sacar o valor em 20 dias e ela não tem esse tempo. Por isso, acabou indo para as redes sociais jogar seu apelo. A publicação já soma mais de 250 comentários e 100 compartilhamentos.

"Meus filhos estão inconsoláveis. O Ozzy é nosso bebê, um carinhoso ciumento", brinca. "Ele tem 3 anos, foi um presente ganho de uma tia minha e já faz parte da família. Desde que aconteceu, venho tentando recuperá-lo de diversas maneiras, mas sem sucesso. E as crianças aqui só choram", garante.

Quem quiser ser solidário com Carol, pode entrar pelo número telefônico (67) 99118-2047.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário