ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  10    CAMPO GRANDE 10º

Comportamento

Superlua é companhia de guia que se isolou para cuidar da saúde

Luiz Miguel, de 62 anos, fez do contato com a natureza parte do tratamento contra doença rara

Por Adriano Fernandes | 13/06/2022 21:49
Superlua de Morango pelas lentes do guia turístico. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)
Superlua de Morango pelas lentes do guia turístico. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)

Segunda-feira foi de noite de lua cheia, e um registro lindo do astro feito diretamente de Piraputanga, a 118 quilômetros de Campo Grande, impressiona pela beleza e grandiosidade. A fotografia é de autoria de um guia de turismo que escolheu a calma do interior, para cuidar da própria saúde e valorizar, ainda mais, as belezas da natureza.

Faz menos de uma semana que o Luiz Miguel Balbuena, de 62 anos, se mudou para o distrito e, desde então, também tem aproveitado o tempo livre para se dedicar a uma de suas paixões: a fotografia. Mais especificamente a que é dedicada a observação de aves, o birdwatching.

Nesta noite (13), no entanto, foi a Superlua, a primeira de junho que "posou" diante das lentes do guia. "Eu estou me especializando em birdwatching então tenho feito muitas fotos de pássaros, mas hoje à noite aproveitei para fazer imagem dessa lua que está muito bonita", comenta Luiz Miguel.

Por ser a primeira lua cheia de junho, a desta noite é conhecida como Superlua de Morango, que tem como principal característica estar 17% maior e 30% mais brilhante do que o normal, de acordo com a Nasa. Já o nome "Superlua de Morango" não está relacionado a cor ou o formato da fruta. Tem origem nos antigos povos norte-americanos, que nesta época viam os morangos florescerem.

A tranquilidade do distrito e a oportunidade de poder apreciar o que a natureza tem de mais belo, como a lua, é justamente o que Luiz Miguel busca e precisa nesse momento da vida. Amanhã (14) faz exatamente um ano que ele foi diagnosticado com psoríase eritrodérmica, uma forma muito rara e muito mais grave da psoríase convencional.

Além de comprometer criticamente a saúde da pele a doença pode afetar órgãos, tem grande risco de super infecção, desidratação e acarretar outra série de distúrbios. Faz parte do tratamento não se abater por fortes emoções e estresse, algo praticamente impossível de não acontecer na cidade grande. Daí a iniciativa do guia turístico de buscar a calma no distrito de Aquidauana.

"Ela (doença) afeta dos pés à cabeça, é muito dolorosa, desconfortável e eu também não quero dar trabalho para ninguém então decidi desacelerar. Eu preciso dessa paz, de muita calma e também optei em vim para cá porque eu amo a natureza", diz Luiz.

Antes da mudança o guia turístico trabalhou na implementação de atrativos na região, que nos últimos anos tem deslumbrado amantes do ecoturismo. Por isso não é difícil para Luiz se sentir em casa no distrito. Vir a Campo Grande, agora, só nos retornos ao médico e para matar a saudade da família.

Logo abaixo, dê uma olhada em outras fotos lindas que o Luiz Miguel fez ainda hoje de uma arara Canindé, matando a fome com um tamarindo. 

Arara comendo o fruto verde do tamarindo. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)
Arara comendo o fruto verde do tamarindo. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)
Arara comendo o fruto verde do tamarindo. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)
Arara comendo o fruto verde do tamarindo. (Foto: Luiz Miguel Balbuena)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).


Nos siga no Google Notícias