A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Junho de 2018

13/06/2018 08:24

Vídeo de afeto entre primos mostra como diferenças são pequenas diante do amor

Thailla Torres
João, de 6 anos, e Arthur,  de 6 meses, já são amigos inseparáveis. (Foto: Arquivo Pessoal)João, de 6 anos, e Arthur, de 6 meses, já são amigos inseparáveis. (Foto: Arquivo Pessoal)

É fofo ver o amor de primos numa tarde em família. É inspirador, pela simplicidade do gesto e pelo sentimento claro nos olhos de cada um. Em um vídeo postado no Facebook na tarde desta terça-feira (12), Arthur, de apenas 6 meses, se diverte tentando dar beijos no primo João, de 6,  que recebe animado o afeto, deitado em uma cama sem conseguir andar

"Foi quase impossível não me emocionar. Ver a cumplicidade dos dois em um momento de muito desafio para o João é incrível. É a prova de que as diferenças são muito pequenas quando existe amor", diz a mãe de Arthur, Ana Karine Vilela, de 26 anos.

O filho fica alguns dias da semana, a tarde, na casa da irmã Maria Trindade da Silva, 36 anos, para que Ana consiga trabalhar. E nestes momentos é que o filho, ainda bebê, tem demonstrado todo carinho ao primo com paralisia cerebral que desde muito pequeninho aprendeu a lutar pela vida.

Gesto e carinho que emociona. Gesto e carinho que emociona.

Maria abriu mão do emprego, para correr atrás de tratamentos para que João tenha qualidade de vida.

O menino nasceu com apenas 5 meses de gestação. À mãe, os médicos justificaram que em razão de uma prematuridade extrema, João foi diagnosticado com encefalopatia crônica não evolutiva, microcefalia, cardiopatia, retinopatia da prematuridade e disfagia moderada, que um dia já foi severa.

Durante esses anos, João foi internado inúmeras vezes para aplicações de Toxina Botulínica em seu rosto, pernas e braços, com o intuito de melhorar musculatura e quem sabe dar à chance do menino se movimentar.

Além do quadro respiratório que precisa de atenção, ao permanecer o tempo deitado, Maria cuida minuciosamente para que o filho esteja sempre uma posição confortável. "Eu tinha acabado de terminar a faculdade de Direito quando João nasceu. Tinha me proposto a cuidar dele até os 4 anos acreditando que depois disso ele andaria e levaríamos uma vida normal. Mas cada dia ele depende mais de mim e minha única promessa, é não desistir", afirma a mãe

Ao presenciar a cena do sobrinho tentando, do seu jeitinho, beijar o primo, Maria assume que não conteve a emoção. "João é muito amoroso, afetuoso e única maneira dele se expressar é mandando beijos. E parece que o Arthur sabe exatamente como deixar o João feliz, o tempo todo os dois querem estar no mesmo ambiente".

O carinho emociona, principalmente, diante das respostas que já ouviu do mundo sobre a condição do filho. "Faz toda diferença, porque a gente vê que a inocência está em toda criança, quem tira isso dela é o adulto e muita gente já se afastou do meu filho por ele ser assim".

No coração de Maria, ainda ecoam absurdos que mãe nenhuma merecia ouvir de um filho. "Já ouve casos de pais tirarem as crianças de perto do João na padaria e dizerem que ele é amaldiçoado. Em outros momentos, tem gente que pergunta se ele vai atacar. Coisas que a gente até desacredita que existe, mas quando acontece, só faz pensar o quanto esse mundo precisa de amor".

Sozinha, Maria é a mãe que cuida e acompanha João em todos os seus tratamentos, sem perder as forças, mesmo diante das maiores dificuldades. Por isso, neste momento, toda ajuda é bem vinda. "Estou economizando para comprar uma cadeira pra ele. Vai mudar a vida do João e tudo que eu quero é ver o meu filho feliz".

Quem tiver interesse pode contribuir com João na doação de fraldas, lenços umedecidos e suplementos de uso diários que estão especificados em um blog, onde Maria narra o dia a dia do filho. Para ajudar, clique aqui.

Assista o vídeo fofo de Arthur dando beijinhos no primo.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.