ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 23º

Consumo

Livros são aliados para encontrar conforto na loucura da pandemia

Público respondeu enquete sobre leitura no isolamento e leitoras dão dicas para quem deseja ler mais.

Por Thailla Torres | 06/06/2021 09:01
Nayara ao lado da sua estante de livros em casa. (Foto: Arquivo Pessoal)
Nayara ao lado da sua estante de livros em casa. (Foto: Arquivo Pessoal)

Na enquete de ontem (05), 31% dos leitores afirmaram que a fez aumentar a leitura de livros. Já 69% disse que a rotina de leitura não mudou. Mas encarar o livro neste período de pandemia virou uma forma de driblar a ansiedade.

A representante de vendas Nayara Batista Rosa, de 34 anos, sempre gostou de ler, desde pequena. O melhor momento da semana, era quando ela ia com meus pais à Feira Central e podia escolher um gibi da Turma da Mônica.  Os livros foram chegando aos poucos, primeiro com leituras obrigatórias na escola e posteriormente ela foi pedindo por mais.

A paixão pelos livros só aumentou na pandemia. “Eu sempre intercalei as leituras com as outras atividades do meu dia a dia. Então acredito que a pandemia teve um papel super importante nesse aumento, pois utilizei todo esse tempo dentro de casa para me dedicar aos livros. Onde antes eu estaria saindo com amigos, ou viajando eu me dediquei a ler mais livros”, conta.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

A leitura foi capaz de trazer um pouco mais de conforto neste período, afirma. “Esse foi um tempo bem difícil e delicado para todos, então acho super necessário buscar conforto ou consolo em alguma atividade que possa nos distrair de todo turbilhão de emoção que estamos vivendo. Algumas pessoas utilizaram a culinária, a jardinagem, trabalhos manuais como essa válvula de escape, eu me encontrei ainda mais nos livros que já eram uma paixão antiga”, diz.

Para a engenheira civil Carla Bossoni, de 28 anos, a pandemia não afetou muito sua relação com livros, mas saindo menos e ficando mais em casa ela acabou encontrando mais tempo para eles. “Ainda mais que moro sozinha. Tem sido uma época que estou comprando menos, pois estava com muitos não lidos em casa parados, e resolvi reverter essa situação e basicamente me proibi de comprar novos”, disse.

Carla também sempre gostou de ler. “As primeiras histórias que minha família conta de mim com livros eu tinha 3 anos, não sabia ler, mas já amava eles. Tinha vários desses de criança mesmo, daqueles de fábulas, e pedia tanto para lerem para mim que sabia todos decorados e reclamava quando alguém "lia errado", ou seja, mudava alguma palavra ou pulava algum pedaço. A partir daí só foi crescendo a vontade de ler muito e gostar muito dos livros também, uma época minha mãe me proibiu de ir para a biblioteca da escola na saída porque eu enrolava lá e atrasava ela”.

Carla leva livro em todas as suas viagens. (Foto: Arquivo Pessoal)
Carla leva livro em todas as suas viagens. (Foto: Arquivo Pessoal)

Nayara publica em suas redes sociais foto com os livros que costuma ler e dá estrelas para indicar o quanto a leitura foi boa. “Sempre estou recebendo pedidos de indicação de amigos que também gostam de ler e tenho maior prazer em indicar e muitas vezes até em emprestar livros. E me sinto muito feliz quando alguém volta dizendo que gostou da minha indicação”.

Já Carla tem um projeto pessoal em que a ideia é ler 201 livros de países diferentes. “A regra principal é: o autor tem que ser do país. Depois tenho algumas outras regras que não mantenho sempre: ser romance (mas já li contos por falta de opção), falar sobre o país e de preferência ser atual. Tenho lido em português, inglês e espanhol e os e-books tem sido essenciais para conseguir completar. Iniciei em 2014 e meu plano é ler no mínimo 10 por ano, para finalizar o projeto em 20 anos. Já li 64 dos 201 e mantenho atualização deles no meu Instagram”.

As duas dão dicas para quem deseja começar a leitura e tirar a poeira daquele livro que há tempos está “estacionado” na estante. “Tente encaixar nem que seja 20 minutos por dia para se dedicar a leitura: ao acordar, naquela descansada depois do almoço ou antes de dormir. Criar uma rotina diária vai acabar tornando esse momento em um hábito”, explica Nayara.

Encontrar algum tema que atraia também ajuda. “Não adianta querer tentar ler Senhor dos Anéis se você detesta aventura ou então um livro sobre finanças se isso não te atrai, não é porque "todo mundo está lendo" que esse livro é para você, sempre que perco um pouco o meu ritmo de leitura me volto para alguns que já sei que gosto e que são fáceis, para engatar de novo”, acrescenta Carla.

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário