ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 19º

Consumo

Locadora que já teve maior rede da cidade anuncia fechamento e liquida DVDs

Por Paula Maciulevicius | 02/09/2013 08:32
Em 10 dias as prateleiras dos DVD’s vão dar lugar às tintas. Até lá, a promoção é de filmes originais a R$ 10. (Foto: Marcos Ermínio)
Em 10 dias as prateleiras dos DVD’s vão dar lugar às tintas. Até lá, a promoção é de filmes originais a R$ 10. (Foto: Marcos Ermínio)

Das oito locadoras que a rede já teve em Campo Grande, a penúltima fecha as portas ainda este mês. A Hellio’s Vídeo, que leva o mesmo nome do dono, abriu em fevereiro de 1988, e hoje, 25 anos depois reluta para resistir no mercado.

Na fachada da loja da rua Ceará está o anúncio do fechamento e liquidação dos DVD’s. O preço por filmes originais é de R$ 10, incluindo o formato Blu-ray. Mais uma baixa na cidade que com certeza vai deixar saudades. O que já foi ‘império’ no segmento resiste com apenas uma loja. “Temos a da Marechal Rondon, ainda estamos relutando para não fechar. O movimento caiu significativamente”, fala o proprietário, Hélio Domingos Gomes, de 51 anos.

Ele atribui o fechamento à pirataria, dizendo o que é óbvio. “O DVD é um disco pequeno, em qualquer lugar você vê mais de mil a R$ 2, se compra cinco por R$ 10. O pessoal dos bairros não vai mais locar, quem tem dinheiro também só compra pirata”, explica. Depois da pirataria, o ranking que leva locadoras à falência é a programação de TV à cabo e downloads pela internet.

O lucro não é mais o mesmo de antigamente , a primeira locadora da rede a dizer adeus à cidade foi da avenida Costa e Silva, há cinco anos, seguida da Salgado Filho e por aí vai. Além da resistência de continuar com pelo menos uma locadora, Hélio fala que a luta é por manter o nome. “São 25 anos no mercado, a gente tem até a chácara Hellio’s Vídeo, o nome fica vinculado. Estamos abertos hoje por paixão, por gostar do segmento, pelos clientes antigos, isso faz a gente continuar”, resume.

O fechamento não é exclusividade da Hellio’s Video. No histórico de locadoras, nos últimos anos Campo Grande viveu várias baixas: MB Vídeo, Real Vídeo e outra que veio com toda pompa e hoje diminuiu em 1/3 o espaço, a Megamil.

“A gente viveu e ‘criou’ muitos clientes que depois vieram os filhos e netos. Mesmo fechando, não aumenta a clientela, como deveria. É um segmento que infelizmente está acabando e não sei o que vai ser dos que gostam de locar quando fecharem todas, mas é a vida”, finaliza Hélio.

Na rua Ceará, o ponto que comporta a locadora já tem destino. Em 10 dias as prateleiras dos DVD’s vão dar lugar às tintas. A loja ao lado, Casa das Cores, ocupará o espaço. O atendimento da locadora é das 13h30 às 21h, todos os dias.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário