ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Consumo

Loja de doce é o abraço do pai que trazia bala caramelo a cada viagem

Loja colorida no Rita Vieira tem chamado atenção por ser recheada de docinhos de infância

Por Thailla Torres | 04/07/2022 10:18
Juliana é proprietária da loja de doces, que tem a bala Caramelo como maior lembrança do pai. (Foto: Kísie Ainoã)
Juliana é proprietária da loja de doces, que tem a bala Caramelo como maior lembrança do pai. (Foto: Kísie Ainoã)

Na fachada da loja de doces, no Bairro Rita Vieira, o pirulito colorido e gigante só perde a atenção para as bombonières lotadas de guloseimas. Lá dentro, cada recipiente de acrílico traz produtos açucarados que fazem ou já fizeram a cabeça de muita criança.

Mas o docinho mais valioso dá nome à loja e a saudade que mora no coração de Juliana Francisca de Zorzi do Valle, que tem a famosa bala Caramelo como herança e um pedacinho do carinho que recebia do pai toda vez que ele chegava em casa.

A história do estabelecimento não envolve somente a vontade de investir e ter o próprio negócio. A proprietária expõe o quão forte é o amor entre pai e filho que, quando presente, nem mesmo a distância imposta pelo trabalho é capaz de abalar.

“Morávamos no interior. Meu pai era caminhoneiro e viajou muito a trabalho. Às vezes, ficava semanas longe de casa e, sempre que voltava, trazia um saquinho de papel lotado de bala Caramelo”, conta Juliana, que é proprietária da loja Caramellos Delícias da Infância.

Diversidade de balas e marshmallows vendido a granel. (Foto: Kísie Ainoã)
Diversidade de balas e marshmallows vendido a granel. (Foto: Kísie Ainoã)

A filha lembra que cada ligação e promessa do saco cheio de balas era um misto de alegria e ansiedade. “Depois que meu pai chegava eu ganhava o saquinho de balas e um abraço apertado, era o melhor abraço do mundo”.

Juliana sempre quis ter o próprio negócio e, depois de muito pensar sobre sua vida profissional, lembrou do sabor da bala inesquecível trazida pelo pai. Foi então que resolveu abrir a loja de doces no bairro onde boa parte das guloseimas não são encontradas. “É uma homenagem ao meu pai, é um negócio que faz a gente voltar no tempo, sentir de novo aquela doçura da infância”, diz a dona.

Na loja, além de balas conhecidas, as bombonières são recheadas de doces como suspiro, docinho de abóbora em formato de coração, paçocas, marshmallows, pé de moleque, docinhos de banana, pirulitos, dos mais diversos tamanhos e sabores, doces e azedinhos, e claro, a tradicional bala caramelo.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Docinhos que fazem muitos adultos voltarem à infância. (Foto: Kísie Ainoã)
Docinhos que fazem muitos adultos voltarem à infância. (Foto: Kísie Ainoã)

O diferencial é a possibilidade de comprar qualquer um dos doces a granel. “Geralmente nas lojas maiores e supermercados esses doces são vendidos em caixas, aqui é possível comprar um só ou o tanto que quiser”, explica.

A nostalgia de contar os centavos e comprar o que tem nas mãos de balinha é possível para crianças e adultos. “É bacana ver que muita gente vem com os filhos e acaba voltando à infância através das lembranças. Tem gente que experimenta uma balinha e começa contar para os filhos das brincadeiras, dos momentos bons da infância”, revela.

Tem ainda caixinhas com opções para quem deseja presentear com açúcar e boas lembranças. “É uma forma carinhosa de voltar no tempo e ter boas lembranças”, destaca a dona.

A loja funciona de segunda a sábado, das 9h às 18h, na Rua Rotterdan, 1902, Rita Vieira.

Confira a galeria de imagens:

  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News
  • Campo Grande News

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias