ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 32º

Diversão

Bar aproveita últimos dias de “liberdade” para convocar "festinha de despedida"

Mesmo com casos de covid-19 nas alturas e pedido para que não haja aglomerações, bar de rock chama para evento

Por Raul Delvizio | 11/03/2021 13:53
Blues Bar confirmou que esta será sua "última semana" (Foto: Reprodução/Instagram)
Blues Bar confirmou que esta será sua "última semana" (Foto: Reprodução/Instagram)

Para controlar a proliferação de casos da covid-19, a prefeitura da Capital já confirmou o início do novo toque de recolher para às 20h deste próximo domingo (14). Mas nem todo mundo entendeu o recado contra aglomerações diante de recordes de mortes e internações em Campo Grande. Nos últimos dias de "liberdade", o Blues Bar convocou a clientela para despedida. A justificativa é não saber ao certo se sobreviverá após mais essa restrição medida.

Para isso, duas "festas" terão gostinho de despedida: country rock nesta quinta (11) e show da banda Foogha marcado para a sexta-feira – isso mesmo depois dos boletins do mês de março mostrarem aumento de mortes e casos da doença no estado. Só na Capital, a prefeitura reativou mais 10 leitos de UTI em vias de uma superlotação.

Segundo Ivan Torres, proprietário do Blues Bar, o fechamento é "iminente". "Respeitamos todas as todas as regras impostas pelas autoridades desde o início, atendendo em média 10-15% do nosso público. As vendas caíram 80% e mesmo assim não dispensamos nenhum funcionário ou músico, acumulando dívidas e lutando pela sobrevivência. O que vendemos não paga as contas desde 2020, então é um buraco sem fim", lastima.

O anúcio foi feito pelas redes sociais; até o Bar Mercearia se pronunciou (Foto: Reprodução/Instagram)
O anúcio foi feito pelas redes sociais; até o Bar Mercearia se pronunciou (Foto: Reprodução/Instagram)

Ivan relembra que anterior as eleições o toque de recolher tinha sido marcado 00h, onde as pessoas se adaptaram ao "novo normal". Para ele, o movimento estava tranquilo porém tinha algumas horas "extras" para trabalhar – "diferente de agora", reclama.

"No nosso segmento, esse novo horário é impraticável. Mesmo se fosse até às 22h como um dia já foi o setor noturno tem pouco tempo disponível para trabalhar. Ao meu ver, 1h a mais não muda as expectativas de retenção a covid, mas para o comércio 1h a menos toda a diferença", considera.

Nas redes sociais, o perfil do Bar Mercearia comentou: "vizinho, só quem está na nossa pele tem a dimensão do que estamos passando. Após um ano, o cansaço físico e mental nos fazem ter vontade de desistir, busque força no carinho dos seus clientes. Respire fundo e levante a cabeça, vamos passar por mais essa. Estamos aqui no que pudermos ajudar, nem que seja para afogarmos as lágrimas".

"Infelizmente, a realidade de cada pessoa ou empresa é única, cada um sabe onde aperta a sua situação, então devemos respeitar a situação de cada um e cuidar de si. Neste momento, não sabemos se vamos aguentar continuar", finalizou Ivan.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário