ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Diversão

Bar aproveita últimos dias de “liberdade” para convocar "festinha de despedida"

Mesmo com casos de covid-19 nas alturas e pedido para que não haja aglomerações, bar de rock chama para evento

Raul Delvizio | 11/03/2021 13:53
Blues Bar confirmou que esta será sua "última semana" (Foto: Reprodução/Instagram)
Blues Bar confirmou que esta será sua "última semana" (Foto: Reprodução/Instagram)

Para controlar a proliferação de casos da covid-19, a prefeitura da Capital já confirmou o início do novo toque de recolher para às 20h deste próximo domingo (14). Mas nem todo mundo entendeu o recado contra aglomerações diante de recordes de mortes e internações em Campo Grande. Nos últimos dias de "liberdade", o Blues Bar convocou a clientela para despedida. A justificativa é não saber ao certo se sobreviverá após mais essa restrição medida.

Para isso, duas "festas" terão gostinho de despedida: country rock nesta quinta (11) e show da banda Foogha marcado para a sexta-feira – isso mesmo depois dos boletins do mês de março mostrarem aumento de mortes e casos da doença no estado. Só na Capital, a prefeitura reativou mais 10 leitos de UTI em vias de uma superlotação.

Segundo Ivan Torres, proprietário do Blues Bar, o fechamento é "iminente". "Respeitamos todas as todas as regras impostas pelas autoridades desde o início, atendendo em média 10-15% do nosso público. As vendas caíram 80% e mesmo assim não dispensamos nenhum funcionário ou músico, acumulando dívidas e lutando pela sobrevivência. O que vendemos não paga as contas desde 2020, então é um buraco sem fim", lastima.

O anúcio foi feito pelas redes sociais; até o Bar Mercearia se pronunciou (Foto: Reprodução/Instagram)
O anúcio foi feito pelas redes sociais; até o Bar Mercearia se pronunciou (Foto: Reprodução/Instagram)

Ivan relembra que anterior as eleições o toque de recolher tinha sido marcado 00h, onde as pessoas se adaptaram ao "novo normal". Para ele, o movimento estava tranquilo porém tinha algumas horas "extras" para trabalhar – "diferente de agora", reclama.

"No nosso segmento, esse novo horário é impraticável. Mesmo se fosse até às 22h como um dia já foi o setor noturno tem pouco tempo disponível para trabalhar. Ao meu ver, 1h a mais não muda as expectativas de retenção a covid, mas para o comércio 1h a menos toda a diferença", considera.

Nas redes sociais, o perfil do Bar Mercearia comentou: "vizinho, só quem está na nossa pele tem a dimensão do que estamos passando. Após um ano, o cansaço físico e mental nos fazem ter vontade de desistir, busque força no carinho dos seus clientes. Respire fundo e levante a cabeça, vamos passar por mais essa. Estamos aqui no que pudermos ajudar, nem que seja para afogarmos as lágrimas".

"Infelizmente, a realidade de cada pessoa ou empresa é única, cada um sabe onde aperta a sua situação, então devemos respeitar a situação de cada um e cuidar de si. Neste momento, não sabemos se vamos aguentar continuar", finalizou Ivan.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias