A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

16/11/2017 06:56

Pelo sonho de infância, professor cria "Grande Prêmio de Rolimã" em parque

Uma competição diferente e que remete a infância de muitos que cresceram até os anos 90

Thailla Torres
Uma competição diferente e que remete a infância de muitos que cresceram até os anos 90.Uma competição diferente e que remete a infância de muitos que cresceram até os anos 90.

No dia 26 de novembro, o Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, vai se tornar uma pista para carrinhos de rolimã. A disputa, promovida pela Oficina de Inventores da UFMS, integra os sonhos do professor e empresário Humberto Vilhalba Carrapateira, de 53 anos, que há duas décadas é dedicado as invenções.

Uma competição diferente e que remete a infância de muitos que cresceram até os anos 90, mas que atualmente se tornou raridade entre crianças e adolescentes. "É voltar no tempo e descobrir o encanto de fazer o próprio brinquedo, competir entre os amigos de maneira honesta e muito divertida", descreve Humberto.

O evento foi batizado no estilo de competição nacional "GP de Rolimã", mas para 2018 Humberto já sonho com um grande campeonato. "Queremos uma parceria com GP Brasil e fazer tudo dentro das características do Grand Premium", diz.

Material para quem não tiver o carrinho. Material para quem não tiver o carrinho.

O bacana é que qualquer um pode competir e fazer o próprio carrinho. Mas quem não tiver experiência, ainda pode contar com a ajuda de Humberto, em sua oficina. "Como a gente dispõe de ferramentas para isso, quem quiser pode começar a construção do veloz, por aqui mesmo, com apoio técnico".

No kit que o inscrito tem direito, após o pagamento da taxa, todas as peças de madeira estão cortadas, os parafusos do tamanho certo e os rolamentos na medida oficial do GP. "Basta colocar a mão na massa, usar a máquina elétrica tico-tico, furadeira, martelo, chave de fenda, chave de boca e não demora mais do que duas horas para terminar de construir o carrinho", explica.

A inscrição individual custa R$ 25,00 e o candidato levará o carrinho rolimã construído (com rolamento simples). Já para quem quiser participar em equipe, será cobrado uma taxa de R$ 105,00 que dá direito ao kit e ferramentas da Oficina de Inventores.

Cada equipe deve ter de 3 a 9 integrantes com direito a inscrever um carrinho por categoria. O carrinho adicional terá uma taxa de R$ 50,00.

Serão 5 categorias: rolimã tradicional, rolamentos gerais, categoria kids para crianças de 7 a 9 anos, infantil de 10 a 14 anos, adulto feminino e adulto masculino.

Humberto fica à disposição para ajudar os competidores.Humberto fica à disposição para ajudar os competidores.

É obrigatório à apresentação de documento com foto na inscrição e na hora do evento. Cada equipe poderá ostentar o patrocínio de seu carrinho na roupa e no capacete mas sem atrapalhar a numeração.

É obrigatório o uso de acessórios para seguranças como capacetes, luvas, calça jeans e camisa de manga comprida. Cotoveleiras e joelheiras são opcionais.

Os estudantes devem realizar um trajeto, em descidas com apenas dois carrinhos de rolimã por vez, sendo que o ganhador passará para próxima fase. E será permitida a famosa remada no chão. "Acredito que vai ser um evento para muita gente voltar a infância, mas o que tem me surpreendido é o número de adolescentes participando".

Quem estiver interessado, o GP de Rolimã será realizado no dia 26 de novembro, das 8h às 18h, no Parque das Nações Indígenas. A inscrição pode ser feita pelo site Oficina do Inventor. Informações pela página do evento no Facebook.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.