A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Agosto de 2019

08/11/2017 08:30

Homens querem a marquinha perfeita e inflacionam preço do bronzeamento natural

Em Campo Grande, poucos lugares abrem espaço para atender ao público masculino

Thailla Torres
Eles querem a pele dourada nesse verão. Eles querem a pele dourada nesse verão.

A moda da marquinha de fita adesiva começou com lages cheias no Rio de Janeiro e por aqui lota quintais de clínicas que vivem do bronzeamento natural. Bacana é que a busca pela marquinha perfeita não é só vaidade feminina. Assim como elas, os homens também procuram o serviço, mas em Campo Grande, poucos lugares abrem espaço para eles e o preço ainda é mais alto.

O empresário Eder Cadete, de 33 anos, diz que adora estar bronzeado, mas longe da praia fica difícil a marquinha desejada. Por isso, correu atrás de lugares que o atendesse na cidade, mas não teve sucesso. "Eu sentia a necessidade de ter um bronze bacana, mas tive muito dificuldade e acabei montando meu negócio. Trabalho na área da beleza e atendo os homens no bronzeamento".

Eder oferece o bronzeamento no Itanhangá e conta que, geralmente, os homens usam sunga, mas o esparadrapo também é um recurso, apesar dos pelos. "A gente faz a fita masculina do jeito que ele quer. Dá para brincar com todas as formas de fazer marquinha. E quanto aos pêlos, usamos parafina para retirar a fita sem machucar".

O espaço do Eder fica no Itanhagá e a sessão de bronzeamento custa R$ 50,00 durante uma hora e 20 minutos.

Eder também busca a marquinha perfeita. (Foto: Arquivo Pessoal)Eder também busca a marquinha perfeita. (Foto: Arquivo Pessoal)

O Lado B entrou em contato com vários locais que oferecem bronzeamento natural na cidade. A maioria, se recusa a atender o público masculino. A justificativa é para manter a privacidade das mulheres ou porque não vale a pena o retorno financeiro.

O "Espaço Eliane", no Jardim Ouro Preto, é uma das raridades  com esse tipo de serviço. Mas o cliente precisa ter paciência para conseguir horário. "Para eles, é bem diferenciado, tem que ser um horário que não tenho mulheres agendadas", segundo a proprietária Eliane Barbosa.

É para evitar constrangimentos, justifica. "Não misturo, porque as mulheres ficam intimidadas. As vezes elas já ficam nervosas na frente de outra mulher, imagina de um homem", explica.

Para garantir o atendimento, o jeito é escolher um dia e cobrar mais caro. "Pra mulher geralmente é R$ 70,00 e para homem procuro fazer a R$ 90,00. Porque, geralmente, vou deixar de atender várias mulheres só para atender ele", explica.

O perfil dos clientes é de fisiculturistas, modelos ou quem quer chegar na praia fazendo bonito. "Nem sempre eles querem ficar lá na praia tomando sol pra ter uma cor bonita", comenta Elaine. Nessa onda, tem homem aproveitado o momento em casal. "Eu tenho um cliente que vai com esposa, foi ela que o convenceu. E quando ele quer ficar bronzeado, fecho o espaço só pra eles".

Independente da quantia de clientes, o processo é o mesmo e, filtro solar, nem sempre é prioridade. "Depende muito da pele da pessoa. Quando a pessoa é muito branca, eu passo uma camada e depois venho com o acelerador", diz sobre o produto adquirido em casas de estética.

Deitado em uma maca, a sessão dura uma hora e vinte minutos. O bronzeamento é feito entre 7h e 11h da manhã. "A tarde não fazemos por uma questão de segurança", reforça.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.