ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 28º

Games

Game Boy tinha mais a oferecer do que um simples mini-game

Por Ricardo Syozi | 12/01/2021 06:10
Game Boy de 1989 (Foto: Reprodução)
Game Boy de 1989 (Foto: Reprodução)

Quando eu era apenas um garotinho fã de Mario 3, eu passei a frequentar a casa de um amigo aos fins de semana. A mãe dele vivia com um “mini-game” nas mãos jogando um tal de Tetris. Eu fiquei intrigado e logo pedi para brincar um pouco. Para a minha surpresa, meu amigo me perguntou qual “fita” eu queria jogar e logo notei que as minhas amadas Tartarugas Ninjas estavam lá prontas para serem desafiadas em uma aventura. Foi aí que me apaixonei por Teenage Mutant Ninja Turtles: Fall Of The Foot Clan, um game que me desafiou muito quando era pequeno, mas que até hoje é o meu xodó no tijolão que chamamos de Game Boy.

Bom e barato – Gunpei Yokoi, o pai do nosso querido Game Boy não foi apenas o criador do portátil, mas também se tornou o criador de toda uma geração de jogadores andarilhos que até hoje existem desde o dono de um celular de última geração ao feliz dono de um Nintendo 3DS que jamais larga o seu Pokémon X ou Y. E por incrível que pareça, tudo começou em 1989 por causa de uma ideia simples: evoluir o Game And Watch para dar ainda mais opções aos compradores.

O “minigame” conhecido como Game And Watch já estava nas lojas havia muitos anos. A sua popularidade estava diminuindo, pois cada jogador se sentia obrigado a comprar cada vez um novo console para curtir uma nova aventura. Pensando nisso, Yokoi decidiu começar a trabalhar em novo produto que possibilitava a troca de cartuchos removíveis, algo que já havia sido pensado nos corredores da Nintendo, mas que antes de 1989 era basicamente impossível.

Assim como o Famicom, o primeiro passo era fazer um console barato, algo muito comum nos negócios da Nintendo. Desta forma, Yokoi optou por utilizar uma tecnologia já existente, nada de ir atrás de novidades caras e complexas, a ideia era trabalhar com algo que eles já conheciam e oferecer ao consumidor um produto final consistente, bom e barato. Não havia necessidade para dores de cabeça com um hardware desconhecido que podia quebrar com facilidade.

Luz de fundo para iluminar a tela? Cores? É claro que não! Tudo isso consumia muita bateria, e Yokoi queria que as pilhas durassem quase um dia inteiro de jogatina. A sua intenção era focar nos games, fazer os jogadores se entreterem em qualquer lugar, desde o metrô até uma praça qualquer. Era exatamente por isso que todo Game Boy vinha com fones de ouvido, algo para garantir o “tempo a sós consigo mesmo”. É claro que com toda esta filosofia, o sucesso do Game Boy podia estar em risco, já que ele pareceria um tanto quanto “atrás” de outras tecnologias, mas a verdade é que as suas vendas não foram apenas satisfatórias, foram simplesmente arrasadoras.

Games de sucesso – Cerca de 611 títulos foram lançados para o Game Boy, alguns desconhecidos como Mouse Trap Hotel, outros populares como Donkey Kong Land, mas alguns não apenas se destacaram por sua qualidade, mas também por toda a revolução que trouxeram consigo. Separamos alguns que merecem muito serem lembrados:

  1. Tetris – Lançado junto com o console. A criação do Russo Alexis Pajitnov foi bastante disputada na época até mesmo por governos. A Nintendo conseguiu dar um jeito em obter a exclusividade e isso ajudou a marcar toda uma nova paixão nos portáteis mundo afora: o gênero puzzle. Com a ajuda de Tetris, o Game Boy esgotou logo de cara tanto no Japão quanto nos Estados Unidos. Uma beleza.

  2. Pokémon Red & Blue – A ideia infantil de Satoshi Tajiri fez com que o Game Boy não apenas continuasse a sua trajetória de sucesso, mas que a transbordasse. Milhares de jogadores se apaixonaram instantaneamente pela troca de monstrinhos e por toda a estratégia das batalhas. Assim, a febre chamada Pokémon havia começado e sabemos muito bem que ela não parece ter fim.

  3. Super Mario Land 2 – Six Golden Coins: É claro que o melhor encanador do mundo não ficaria de fora dessa lista. A sequência direta de Super Mario Land foi revolucionária por se tratar do primeiro cartucho com 4 megabits, oito vezes mais do que o seu predecessor, algo gigantesco para a época em um portátil. Com isso, os seus gráficos e trilha sonora eram considerados surpreendentes, além de até hoje ser considerado um dos 10 melhores games já lançados para o Game Boy.

Conheça o Video Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário