ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 21º

Sabor

Além da original com linguiça ou Nutella, dentista faz chipa guasú

Há 1 ano e 5 meses, dentista abriu uma chiparia que vende a famosa receita paraguaia

Por Jéssica Fernandes | 13/05/2022 08:00
Francielly segura a chipa guasú, que aprendeu a fazer com a ex-sogra. (Foto: Kísie Ainoã)
Francielly segura a chipa guasú, que aprendeu a fazer com a ex-sogra. (Foto: Kísie Ainoã)

Há 1 ano e 5 meses, a dentista Francielly Alberti, de 34 anos, descobriu que as chipas seriam sua nova fonte de renda e motivo de alegria diária. No Bairro Monte Castelo, ela abriu um estabelecimento que faz a receita original e outras mais elaboradas com recheio de Nutella ou linguiça com cheddar. Em meio a diversas opções no menu, o grande destaque da casa é a receita paraguaia da chipa guasú.

Ensinada pela ex-sogra de Francielly, que faleceu há um ano, a receita é guardada com muito carinho pela proprietária da chiparia. Ao Lado B, ela comentou como foi que a chipa guasú ganhou espaço nos negócios e também no coração dela. “Ela pegou a receita e falava para mim: 'Quando você fizer, você vai se apaixonar'. E realmente foi isso que aconteceu”, afirma.

Para poder vender no local, a profissional fez algumas adaptações na massa e acrescentou alguns ingredientes especiais. No fim das contas, a nova receita virou segredo guardado a sete chaves. “A original é um pouquinho mais molinha do que servimos hoje, porque não teríamos como fatiar. Depois que ganhei essa receita, que para mim é um presente, alterei para poder servir e coloquei temperos que o brasileiro gosta”, explica.

No local, ela vende a chipa que contém adaptação especial no tempero. (Foto: Kísie Ainoã)
No local, ela vende a chipa que contém adaptação especial no tempero. (Foto: Kísie Ainoã)

Vendida a R$ 5, a unidade da chipa guasú pode ser consumida junto com o café coado, o pingado ou o cappuccino servido no local. Quem quiser pode levar o produto na versão congelada por R$15, R$20 ou R$35  para assar no conforto de casa. Muito além de um alimento, Francielly fala que vê a chipa com outra perspectiva. “Eu fico encantada com a força da mulher paraguaia em inventar uma receita que dá sustância para elas poderem trabalhar. Então, essa foi a história que me fez ficar apaixonada e colocar chipa guasú como nosso nome”, destaca.

Início da trajetória - Antes de trabalhar na área, Francielly atuava como cirurgiã-dentista, porém precisou abdicar da rotina de trabalho por recomendações médicas. Apesar de se afastar dos consultórios, ela relata que não conseguiu ficar sem uma ocupação. “Eu tive uma doença autoimune e precisei parar de atender, mas sou bastante inquieta e não consegui ficar sem fazer nada. Aí, tive a ideia de montar um negócio e encontrei essa porta aqui do lado e vi uma oportunidade”, conta.

A porta citada pela empresária é referente ao salão que ela alugava, que fica ao lado do atual estabelecimento. Após ver que o espaço estava disponível para locação, Francielly foi para casa onde fez diversos testes de receitas tradicionais de chipa. No mesmo dia, ela encontrou o ponto ideal da massa assada que é vendida até a atualidade.

Além da receita paraguaia, público encontra a chipa tradicional. (Foto: Kísie Ainoã)
Além da receita paraguaia, público encontra a chipa tradicional. (Foto: Kísie Ainoã)

Cheia de criatividade, Francielly também quis inventar recheios diferentões para a chipa tradicional. No menu, os clientes encontram 13 opções de sabores, sendo alguns doces e salgados. Sem preguiça de inventar misturas, ela diz que continua criando novas chipas recheadas. “Fomos incrementando cada vez mais e a mais recente é a de linguiça toscana com cheddar e queijo coalho”, esclarece.

Além dela, o cardápio trabalha com a chipa recheada com doce de leite, beijinho, goiabada com mussarela, Nutella, pizza, leite coalho, carne seca e catupiry, bacon e calabresa com catupiry. A casa também faz uma mistura de chipa com coxinha de frango e um bolinho de arroz assado.

Na versão congelada, a unidade da chipa tradicional de polvilho sai com o valor promocional de R$ 1 toda quarta-feira. Nos demais dias, ela custa R$ 1,50, sendo que é possível pedir através do sistema delivery do iFood ou direto com o estabelecimento.

Chipa é recheada com linguiça toscana, cheddar e queijo coalho. (Foto: Kísie Ainoã)
Chipa é recheada com linguiça toscana, cheddar e queijo coalho. (Foto: Kísie Ainoã)

Apaixonada pelas receitas que produz, Francielly expressa o significado que a chiparia tem. “Eu amo isso aqui, é como se fosse um filho, porque cuidei desde a base. Eu vi uma entrevista do Anderson Silva falando sobre o que é um lar para uma pessoa e sinto isso aqui”, conclui.

Quem quiser visitar, a Chipa Guasú está localizada na Avenida Monte Castelo, 503, no Bairro Monte Castelo. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 6h30 às 11h e das 13h às 17h. Aos sábados, das 6h30 às 11h.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias