A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

28/03/2018 07:53

Para ser diferente, Luis inventou o varal de churrasco preparado em domicílio

Thailla Torres
Churrasco de varal: um jeito diferente de assar carne que o campo-grandense, Luis, arranjou para recomeçar a vida como dono do próprio negócio. (Foto: Cesar Abud)Churrasco de varal: um jeito diferente de assar carne que o campo-grandense, Luis, arranjou para recomeçar a vida como dono do próprio negócio. (Foto: Cesar Abud)

Depois da frustração de fechar um negócio, o campo-grandense Luís Henrique Molina Soares, de 35 anos, resolveu recomeçar como empresário oferecendo aquilo que o povo daqui adora: o churrasco preparado na casa do cliente. Mas para se destacar, ele optou por um modo de assar diferente. No varal, ele exibe cortes pendurados a dois metros do chão, onde fica o fogo.

"Eu queria fazer uma coisa diferente. Sempre gostei muito de churrasco e comecei com o tradicional, de grelha e parrilla, sempre inspirado nos churrascos argentino e uruguaio. Mas tudo isso não é nenhuma novidade em Campo Grande, foi quando pensei no varal", conta.

Ele é quem monta toda estrutura e assa. (Foto: Cesar Abud)Ele é quem monta toda estrutura e assa. (Foto: Cesar Abud)

Luis deu nome ao negócio de "Varal Pantaneiro". A carne é pendurada em ganchos de ferro e colocada sobre a lenha que fica no chão. Como fica mais distante do calor do que na churrasqueira convencional, o processo é lento, deixando os pedaços mais suculentos e defumados, garante.

"Tradicionalmente o assado de varal é feito com costela. Mas eu já sai disso, faço outros cortes com osso. E acabo incrementando com outros assados como frutas e legumes que são servidos com o churrasco", diz.

Há um ano fazendo churrasco, hoje Luís praticamente vive da carne e diz que todo fim de semana tem agenda fechada. "Isso foge um pouquinho do churrasco tradicional e a gente acaba dando um show. Quem contrata olha o churrasco de varal como uma atração de sábado ou domingo".

Normalmente Luís fica, no mínimo, oito horas preparando o assado. "Não é uma coisa prática, por isso a gente faz com calma. Tenho que levar toda a estrutura, acender o fogo e estar o tempo todo cuidando da carne para servir no ponto certo".

Luis resolveu assar uma variedade em cortes de carne. (Foto: Cesar Abud)Luis resolveu assar uma variedade em cortes de carne. (Foto: Cesar Abud)

A quem questiona a invenção de moda e ao mesmo tempo trabalhosa, Luis explica. "Não estou tentando mudar a cultura de fazer churrasco, apenas trouxe uma nova leitura. Sem contar que a gente consegue ter uma interação maior com as pessoas em um evento e isso acaba sendo mais gratificante".

O churrasco pode ser feito em qualquer lugar. O Varal Pantaneiro já esteve em residências, condomínios, comércios e até em inauguração de perfumaria feminina.

Na contratação do serviço, há duas opções. O cliente pode pagar somente pela mão de obra ou pelo churrasco completo. Nesse caso, Luis cobra em média R$ 40,00 por pessoa. "Levo tudo, estrutura, utensílios, temperos, carne e cuido o tempo todo dos cortes".

A estrutura de ferro que sustenta o varal tem 2 metros de altura e 2 comprimento. Em alguns casos, se o evento for especial, Luis cria uma estrutura personalizada com bambu para o cliente. "Consigo fazer uma estrutura mais rústica, mas isso demanda tempo e é preciso que o evento seja programado com antecedência", explica.

Quem tiver interesse em contratar Luis, pode entrar em contato pelo WhatsApp no número (67) 98409-7383.

Curta o Lado B no Facebook e Instagram.

 

No varal também há frutas e legumes para incrementar o churrasco. (Foto: Cesar Abud)No varal também há frutas e legumes para incrementar o churrasco. (Foto: Cesar Abud)
Luis se inspirou no churrasco argentino e uruguaio.  (Foto: Cesar Abud)Luis se inspirou no churrasco argentino e uruguaio. (Foto: Cesar Abud)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.