ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 28º

Sabor

Quando doença autoimune bateu à porta, Miriam se reinventou na rosca

Miriam se viu "presa" em casa sem poder receber visita, por isso, deu início a produção de tradicionais roscas doces

Por Lucas Mamédio | 08/01/2021 08:10
Miriam em casa antes de fazer a entrega de algumas roscas (Foto: Paulo Francis)
Miriam em casa antes de fazer a entrega de algumas roscas (Foto: Paulo Francis)

A pandemia estragou as tardes maravilhosas que a pastora Miriam Cabral de Melo, de 54 anos, tinha com as irmãs da igreja dela. Com uma doença autoimune  grave, ela foi obrigada a parar de realizar seu tradicional chá, que ela chamava de “chácomigo”.

O encontro servia para aconselhar mulheres sobre diferentes assuntos, principalmente sobre matrimônio. Nesses encontros a estrela não era nem o chá, era a famosa rosca doce que Miriam assava para servir às amigas.

“Era um momento delicioso, de intimidade entre nós, que foi interrompido pela pandemia”, lamenta.

A necessidade de isolamento é porque Miriam tem hepatite autoimune, doença que causa inflamação crônica no fígado devido a uma alteração no sistema imune, que passa a reconhecer as suas próprias células como estranhas e as ataca, provocando diminuição do funcionamento do fígado.

Rosca de goiabada (Foto: Paulo Francis)
Rosca de goiabada (Foto: Paulo Francis)
Rosca com frutas cítricas (Foto: Paulo Francis)
Rosca com frutas cítricas (Foto: Paulo Francis)

Miriam conta que a partir daí a angústia tomou conta de seu coração. “As tardes pareciam intermináveis, eu não podia sair, não podia mais receber ninguém”.

O “tédio”, misturado à necessidade de aumentar a renda somado, claro, ao incentivo das pessoas ao redor, foram empurrões para que, há cerca de um mês, Miriam começasse a produzir suas roscas para vender.

“Todo mundo falava que eu tinha que vender, então Deus tocou no meu coração e eu coloquei isso como mais um propósito em minha vida. Desde então eu não venci de tantas encomendas”.

Miriam produz sob encomenda em casa mesmo (Foto: Paulo Francis)
Miriam produz sob encomenda em casa mesmo (Foto: Paulo Francis)

Miriam conta que quando decidiu fazer as roscas, ficou quase três dias sem dormir, com medo de como seria a aceitação, se daria conta de entregar os pedido.

“Eu passava as noites em claro, também já imaginando novos sabores de cobertura, de como seria a apresentação, como eu iria vender”.

As rocas de Miriam são simples, mas com vários tipos de cobertura. Inclusive com coberturas de sabores diferentes na mesma rosca. Tem de frutas cristalizadas, chocolate, goiabada, coco e diversos outros sabores. “Eu acho que está dando muito certo porque foi uma coisa que sempre fiz pra minha família, para as minhas amigas, então está sendo natural”.

As encomendas podem pelo WhatsApp (67) 99250-2164.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário