ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 21º

Lado Rural

Exportação de soja cai em junho e volume é o menor desde 2013

Ao todo foram exportadas 281 mil toneladas do grão, movimentando US$ 180 milhões em MS

Por Ana Oshiro | 11/07/2022 10:20
Exportação de soja e milho movimentou mais de U$$ 198 milhões, em MS. (Foto: Divulgação)
Exportação de soja e milho movimentou mais de U$$ 198 milhões, em MS. (Foto: Divulgação)

A exportação de milho e soja do mês de junho, de acordo com dados da Secex (Secretaria de Comércio Exterior), movimentou mais de U$$ 198 milhões em Mato Grosso do Sul. Historicamente, o volume exportado em junho é o menor desde 2013. Quando comparado ao mesmo período do ano anterior o volume foi 57,6% menor.

O destino da maior parte da soja sul-mato-grossense foi a China, com 78,5%; seguido da Argentina, com 8,8%; Coreia do Sul, com 5,6% e Tailândia, com 2%.

Já a exportação de milho movimentou mais de U$$ 17 milhões, com volume de 48 mil toneladas. Em comparação a junho de 2019, ano com maior volume exportado em função da safra recorde, o Estado apresenta redução de apenas 6,8%. Irã é o maior comprador, com 50,2%, seguido da Espanha, com 41,9% e de Portugal, com 7,6%.

Números nacionais – No Brasil, o volume de soja exportado em junho foi superior a 10 milhões de toneladas, equivalente a U$$ 6,3 bilhões. Quando comparado ao mesmo período de 2021, o volume exportado apresentou redução de 9%. Contudo, o valor monetário foi 19% superior em 2022. O principal destino da soja brasileira continua sendo a China, com 65%; seguido da Tailândia, com 4,2%; de Bangladesh, com 3,9%; Espanha e Países Baixos, ambos com 3,2% cada, e Turquia, com 3%.

A exportação de milho no período contabilizou U$$ 338 milhões, com volume superior a 1 milhão de toneladas. Quando comparado com 2021, o volume apresentou aumento de 12 vezes, e o valor monetário bateu o recorde de 2019. O grão é destinado ao Irã, com 27% do volume; a Espanha, com 22%; ao Egito, com 15%; a Colômbia, com 10%; a Portugal, Vietnã e Venezuela, com 4% cada e a Arábia Saudita e Malásia, com 3% cada.

A coordenadora econômica da Aprosoja (Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul) , Renata Farias, salienta que “o aumento do valor da exportação brasileira de grãos de junho de 2022, em comparação ao mesmo período de 2021, se justifica pela elevação do preço disponível no mercado, que tem relação com a valorização do dólar e maior investimento estrangeiro no país.”


Nos siga no Google Notícias