ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 31º

Lado Rural

Seminário Nacional de Milho Safrinha acontece de 28 a 30 de novembro na Capital

Inédito, evento conta com palestras, apresentação de resumos científicos e exposição de produtos e serviços

Por José Roberto dos Santos | 27/11/2023 14:20
Milho segunda safra plantado no município de São Gabriel do Oeste, em maio deste ano. (Foto: Arquivo/José Roberto dos Santos)
Milho segunda safra plantado no município de São Gabriel do Oeste, em maio deste ano. (Foto: Arquivo/José Roberto dos Santos)

Neste ano Campo Grande será palco de um dos principais eventos da agricultura brasileira, o XVII Seminário Nacional de Milho Safrinha. O evento que acontece a cada dois anos, em uma diferente região do país, chegará ao Mato Grosso do Sul no dia 28 de novembro e se estende até o dia 30 do mesmo mês. O evento acontece no Shopping Bosque Expo e abertura está programada para acontecer às 19h de terça-feira, 28.

A conferência da abertura no dia 28, programada para acontecer às 20h, será "Gestão de custos e a viabilidade de produção do milho safrinha: Uma visão do produtor", com o engenheiro agrônomo André Dobashi, presidente da Aprosoja-MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul).

“Com o avanço da biotecnologia aliado às técnicas de cultivo assertivas adotadas pelos produtores sul-mato-grossenses, o milho deixou de ser considerado como safrinha e passou a ocupar lugar de destaque na economia do estado e do país. Por isso, olhar para a cultura com uma visão estratégica, no que se refere à aspectos técnicos e de gestão, é fundamental para uma maior rentabilidade e viabilidade dessa produção”, analisa Dobashi.

Chamada de "milho safrinha", a segunda safra de milho tornou-se o principal ciclo do grão em Mato Grosso do Sul, cultivado logo após a colheita da soja. A safra 2023 foi encerrada oficialmente no dia 27 de outubro, cujo fechamento está ainda sendo levantado. A colheita atrasou três semanas, empurrada pela soja que teve o encerramento prejudicado pelo excesso de chuvas.

A estimativa é que a safra seja 5,39% maior em relação ao ciclo passado (2022), atingindo a área de 2,325 milhões de hectares. A produtividade estimada é de 80,33 sacas por hectare, o que está dentro do potencial produtivo das últimas 5 safras do estado. Essa estimativa gera a expectativa de produção de 11,206 milhões de toneladas, representando uma retração de 12,28% em comparação ao ciclo anterior.

Colheitadeira descarrega milho em caminhão durante a safra do milho em área agrícola na região de Maracaju, no final de setembro deste ano. (Foto: Arquivo/Direto das Ruas)
Colheitadeira descarrega milho em caminhão durante a safra do milho em área agrícola na região de Maracaju, no final de setembro deste ano. (Foto: Arquivo/Direto das Ruas)

Mercado

Até o fechamento da terceira semana de novembro 57% do milho produzido este ano em Mato Grosso do Sul já haviam sido comercializados, segundo a Granos Corretora. Neste ciclo o grão enfrenta queda de preços no mercado. Em relação ao ano passado, para o mês de novembro, o milho sofre uma desvalorização de 42,5%.

Durante a programação do evento – clique no link da agenda no rodapé da reportagem – acontecerão palestras, exposições de produtos e serviços nos estandes dos patrocinadores, e ainda, apresentações de trabalhos acadêmicos por pesquisadores que inscreverem seus resumos no evento. “O seminário é um evento completo. Reunimos o produtor rural, agentes políticos, associações representativas, pesquisadores, fornecedores de produtos e serviços, todos em uma mesma roda debatendo os avanços da cultura do milho”, explica André Lourenção, pesquisador da Fundação MS e coordenador do Seminário, em Campo Grande.

Fundação MS

Nesta edição do seminário, a organização ficou à cargo da Fundação MS. “A cada edição a Associação Brasileira de Milho e Sorgo, divide a responsabilidade com uma instituição que encabeça o projeto. O time da Fundação MS está engajado para fazer deste evento uma das principais edições. Estamos prontos para receber inscritos de todo país e repassar informações atuais, além de apresentar soluções estratégicas para produtores que se dedicam à produção do milho”, completa Lourenção.

Na programação do evento já constam temas ligado às oportunidades de mercado para o milho safrinha, enfezamentos transmitidos por pulgões e cigarrinhas, manejo da cigarrinha-do-milho, consórcio de milho com capins, processo de integração lavoura-pecuária, manejo de adubação, adubação de sistema em solos arenosos e biológicos no maneio da fertilidade do solo.

Entre os temas explorados pelo evento, está a incidência do pulgão, que será debatido pelo PhD João Spotti Lopez, da Usp/Esalq.

Além da realização da Fundação MS, o evento conta com a promoção da Associação Brasileira de Milho e Sorgo, apoio científico da Embrapa e correalização da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul – Aprosoja/MS.

Trabalhos científicos aprovados

O resultado dos trabalhos aprovados a serem apresentados no XVII Seminário Nacional de Milho Safrinha saiu: 81 trabalhos técnico-científicos foram aprovados. Os autores vão apresentá-los na tarde do dia 29 de novembro de 2023, em Campo Grande, MS. Destes trabalhos, 75 serão apresentados na Sessão Pôster e seis serão apresentados no Painel Talentos e Inovações.

“Os trabalhos foram avaliados pelo comitê científico coordenado pela Embrapa Agropecuária Oeste, que contou com a colaboração de 23 consultores, pesquisadores de diversas instituições de ensino e pesquisa no Brasil, com experiência em milho safrinha”, explica o coordenador da comissão científica do evento, Gessí Ceccon.

Os seis resumos são de seis diferentes instituições, sendo dois de Mato Grosso do Sul, dois de Minas Gerais, um de Goiás e um do Paraná. “O último resumo a ser apresentado visa estimular pesquisas sobre o consórcio milho-braquiária, o tema do Seminário (Preservar e produzir)”, diz o coordenador da comissão científica.

SERVIÇO:

Para participar, agricultores, empresários, pesquisadores e profissionais do setor agropecuário, devem se inscrever clicando AQUI.

Acompanhe a programação completa do evento clicando AQUI.


Nos siga no Google Notícias