ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 22º

Lado Rural

Tecnofam abre nesta terça em Dourados com prévia do Sistema Diamantino

De 16 a 18 de abril visitante poderá conferir área de rebrota e amostras de sementes do sistema

Por José Roberto dos Santos | 15/04/2024 10:45
Pasto renovado via experimento com Sistema Diamantino, pela Embrapa, em Jateí, MS. (Foto: Divulgação/Ariosto Mesquita)
Pasto renovado via experimento com Sistema Diamantino, pela Embrapa, em Jateí, MS. (Foto: Divulgação/Ariosto Mesquita)

Investir em uma renovação convencional de pastagem quase sempre é uma pancada no bolso do pecuarista, sobretudo do pequeno produtor, que geralmente não possui diversidade em fontes de renda para bancá-la. Uma eficiente e sustentável alternativa vem sendo estudada pela Embrapa (em parceria com a Fundapam e Latina Seeds) há quatro anos, com previsão de validação ainda para 2024. No entanto, quem for à Tecnofam 2024 (Tecnologias e Conhecimentos para a Agricultura Familiar), que acontece nos dias 16, 17 e 18 de abril, em Dourados, MS, poderá conferir uma prévia bem enxuta deste modelo.

Em uma pequena parcela a campo (no setor de demonstrações de tecnologias), o visitante vai se deparar com um cultivo identificado como “Sistema Diamantino”, efetivado pela Embrapa, fruto da parceria com a Latina Seeds. Ali, ele conseguirá  visualizar uma amostra da rebrota do plantio em consórcio do sorgão gigante com o capim BRS Zuri (um Panicum).

Esta conjugação visa gerar duas fontes de nutrição animal, justamente para o período de maior restrição alimentar (os meses secos). São elas: silagem em grande quantidade (por vezes superiores a 60 t/ha em até dois cortes) e um novo pasto vigoroso graças aos tratos agronômicos na implantação e também ao alto poder de enraizamento profundo do Sorgão Gigante.

Este predicado, em especial, reforça a sustentação da biota de solo (conjunto de seres vivos que lá vivem) e contribui para a descompactação, aeração, hidratação, nutrição e estabilidade produtiva. A ideia, portanto, é que a silagem gerada no sistema amortize ou pague, com sobras, o custo da renovação da pastagem.

O produtor interessado em obter mais detalhes pode visitar o estande da Latina Seeds, na área indoor da feira. Lá, além de receber informações e explicações, ele terá como solicitar uma amostra de sementes do Sorgão Gigante Agri002e, em saquinhos de 10 gramas. A quantidade é limitada e será escalonada ao longo dos três dias. Ainda no estande, a Latina Seeds disponibilizará informações sobre seu portfólio de produtos: linha milho e linha sorgão.

Validação em andamento

O processo de validação do Sistema Diamantino envolve áreas de cultivo (experimentos) na Embrapa Agropecuária Oeste (Dourados) e em duas propriedades particulares (produtores parceiros): Sítio Cantinho do Céu (Jateí, MS) e Sítio Tropical (Vicentina, MS). Os estudos, capitaneados pelos pesquisadores Gessi Ceccon e Marciana Retore, trabalham com propostas de consórcios do Sorgão Gigante com os capins Zuri (Panicum) e Marandu (Braquiária) em espaçamentos entre linhas de 45 cm e 90 cm.

O diretor-executivo da Latina Seeds, Willian Sawa, está avaliando as possibilidades, oportunidades e conveniências de lançamento oficial da nova tecnologia ainda em 2024: “Já recebemos convites e sugestões para o lançamento oficial, mas estamos estudando com cautela e de forma estratégica. Entendemos que este modelo se encaixa perfeitamente na atual demanda por recuperação de áreas degradadas, colaborando para o cumprimento dos compromissos ambientais do Brasil. Neste caso, o Sistema Diamantino representa a possibilidade de uma renovação para a própria pecuária”.

Nos siga no Google Notícias