ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 30º

Lado Rural

Dia de campo deve reunir 800 produtores de 18 estados em Bandeirantes

Produtores vão acompanhar de perto várias ações, entre elas o corte e o processamento da linha “sorgão”

José Roberto dos Santos | 08/02/2023 13:00
Segmento da linha “sorgão”, em área demonstrativa da Latina Seeds na Fazenda Santa Laura, em Bandeirantes, MS (Foto: Divulgação/Latina Seeds)
Segmento da linha “sorgão”, em área demonstrativa da Latina Seeds na Fazenda Santa Laura, em Bandeirantes, MS (Foto: Divulgação/Latina Seeds)

Em tempo de intempéries climáticas e muita instabilidade na janela de cultivo do milho em segunda safra, sobretudo no Brasil Central, o sorgo (cultura mais tolerante ao estresse hídrico) ganhou protagonismo dentro dos modelos de integração lavoura-pecuária (ILP).

Seus predicados permitem que os dois cereais trabalhem em dobradinha, garantido reserva segura de alimento para os bovinos durante os meses secos do ano, quando o pasto perde qualidade. Essa e outras alternativas para turbinar a pecuária brasileira serão mostradas pela Latina Seeds durante o 2º Dia de Campo BCA, que acontece no próximo dia 10 de fevereiro (sexta-feira), das 6 às 20 horas, na Fazenda Santa Laura, em Bandeirantes, MS (114 km da capital, Campo Grande, entrada no km 227 da BR 060).

Durante o evento (com perto de 800 produtores e 250 técnicos inscritos até início de fevereiro), a “sorgão” (linha gigante de sorgo da Latina) estará exposta em área demonstrativa e será alvo de dinâmica de corte e procedimento mecânico de ensilagem em silos bolsa. Todo o processo poderá ser acompanhado de perto pelos participantes graças a um escalonamento de visitação em grupos nas estações a campo.

Em cinco hectares de área demonstrativa, a Latina trabalhará com o sorgão gigante silageiro, o sorgão forrageiro e o sorgão granífero, além de dois representantes da linha de milhos:  LAS 581 VIP3 e LAS 545 VIP3. “São ferramentas de qualidade, produtividade e rusticidade, que garantem segurança para o produtor e que estão afinadas com a integração lavoura-pecuária-intensiva (ILPI), proposta inovadora e marcante deste evento”, garante o diretor-executivo da empresa, Willian Sawa.

As dinâmicas de campo, com destaque para processos tecnológicos de corte e ensilamento de cereais, vão ocupar toda a manhã (6 às 12 horas). Das 13 às 20 horas haverá uma feira comercial/tecnológica e painéis técnicos em um auditório especialmente erguido dentro da fazenda exclusivamente para o evento, com capacidade para até 1.500 pessoas.

Até os primeiros dias de fevereiro, a organização informava que aproximadamente 800 produtores oriundos de 18 estados brasileiros (SP, PR, MT, MS, TO, PA, AM, GO, BA, AL, MA, CE, MG, RS, SC, RO, PI, SC) já estavam inscritos. Desse total, 48% se declararam pecuaristas, 10% agricultores, enquanto 42% afirmaram trabalhar como agropecuaristas (em modelos de integração).

Nos siga no Google Notícias